uma parceria com o Jornal Expresso

Edição Diária >

Edição Semanal >

Assine O Mirante e receba o jornal em casa
31 anos do jornal o Mirante
Moradores do Granho descontentes com desunião dos partidos na defesa da freguesia

Moradores do Granho descontentes com desunião dos partidos na defesa da freguesia

População pede aos políticos para esquecerem a cor partidária
Edição de 04.07.2012 | Sociedade
Os moradores do Granho, concelho de Salvaterra de Magos, mostraram todo o seu descontentamento na assembleia de freguesia que se realizou na sexta-feira, 29 de Junho, por não encontrarem soluções para a manutenção da freguesia. Os populares não gostaram de ver a luta partidária e pedem a união de todos para tentarem ainda salvar a freguesia do Granho, após a assembleia municipal se ter pronunciado a favor da agregação dessa freguesia. Os autarcas passaram grande parte do tempo a discutir questões paralelas. O PS acusou o BE de não ter avisado com tempo os partidos sobre uma conferência de imprensa; o BE acusou o PS da rapidez com que apresentou a proposta na assembleia municipal que defendia a agregação do Granho e que acabou por ser aprovada. Houve ainda tempo para o presidente da junta, Joaquim Ventura (BE), criticar um edital da junta que estava publicado num blogue e que não tinha a mesma cor dos editais das outras juntas do concelho. Na assistência, os populares que vinham à procura de soluções desesperavam e acusavam os autarcas de só estarem interessados em “tachos”. “Estamos a gastar energias e a voltarmo-nos uns contra os outros. Vamos deixar a política da terra queimada e lutar todos juntos”, apelou Carlos Fatia Teso. Palmira Magriça, 68 anos, não escondeu o desânimo: “Eles não se estão a entender e assim não fazemos nada. Já perdemos o nosso posto de saúde e não queremos perder a nossa junta pela qual batalhamos tanto”. Para Zeferino Silva, 59 anos, assistiu-se a uma discussão de “cachopos” e tem pena que “numa terra tão pequena exista uma luta partidária tão grande”. “Não consigo sequer imaginar ter um um presidente de junta de Muge ou da Glória a decidir sobre os destinos do Granho”, desabafou. Também Jorge Frederico, 73 anos, não está disposto a ceder a junta de “bandeja” a outra freguesia. Saíram ainda pessoas da assembleia a gritar que já estava “tudo decidido nos gabinetes” e o “povo só é chamado para montar o filme”. Recorde-se que a proposta do PS de agregar o Granho a outra freguesia do concelho de Salvaterra de Magos, mantendo as restantes freguesias, venceu na sessão da assembleia municipal que se realizou a 14 de Junho. Cabe agora à Assembleia de Freguesia do Granho decidir se quer unir-se a Marinhais, à Glória do Ribatejo ou a Muge. O presidente da mesa da assembleia de freguesia, António Oliveira (PS), não tem pressas em marcar esta assembleia e quer primeiro “deixar a poeira assentar para não discutirem o assunto a quente”.
Moradores do Granho descontentes com desunião dos partidos na defesa da freguesia

Mais Notícias

    A carregar...