uma parceria com o Jornal Expresso

Edição Diária >

Edição Semanal >

Assine O Mirante e receba o jornal em casa
31 anos do jornal o Mirante

Torres Novas afastado da Taça de Portugal à primeira eliminatória

Equipa da III divisão esteve à frente do marcador com um golo de Major mas o Ribeira Brava deu a volta e vai jogar com o União de Leiria para a segunda eliminatória. Formação de Fernando Costa contestou bastante a arbitragem.

Edição de 12.09.2012 | Desporto
Uma boa exibição frente ao Ribeira Brava, dos Açores, não chegou para o Torres Novas passar à segunda eliminatória da Taça de Portugal, após o 1-2 final da tarde de domingo no estádio Dr. Alves Vieira. Major marcou para os torrejanos na primeira parte mas Anderson empatou para o Ribeira Brava em cima do intervalo, numa grande penalidade muito contestada pela equipa da casa de Eraldo sobre o mesmo jogador. Aliás, a arbitragem do árbitro de Portalegre não agradou nada ao Torres Novas em termos disciplinares e técnicos.Frente a um adversário da II Divisão B, o Torres Novas, da III Divisão, não entrou nada amedrontado e foi a equipa que mais procurou o golo. O central Fábio Vieira atirou à barra de cabeça nos 20 primeiros minutos aproveitando uma bola solta junto à pequena área, o que foi prenúncio do golo. Major teve a pontaria afinada ao rematar de primeira com o pé esquerdo de fora da grande área com o guarda-redes do Ribeira Brava a não conseguir defender a bola que bateu à sua frente. Os torrejanos podiam ter aumentado a vantagem mas o guarda-redes defendeu o disparo de Luís Gomes depois de Mauro ter ganho a bola a um defesa.O Ribeira Brava chegou muito pouco à baliza de Galrinho mas quando o fez ia marcando. O guardião defendeu o remate do avançado e a bola foi afastada em cima da linha de golo por Eraldo, quando um jogador açoriano se preparava para confirmar o golo. Central evitou um golo mas provocou outro na visão do árbitro que assinalou grande penalidade em cima dos 45 minutos, por suposta falta sobre Anderson, que o próprio converteu. A bola foi ao meio campo e Carlos Espadinha apontou para o descanso sob o protesto dos jogadores e do público da equipa da casa.O segundo tempo começou com maior equilíbrio mas foi o Ribeira Brava a passar para a frente no marcador com o ponta de lança desmarcado e isolado perante Galrinho a fazer o 2-1. O Torres Novas acusou o golo e teve um quarto de hora sem grandes ideias. Fernando Costa lançou Ricardo Pires, Barrela e Fábio Silva em campo e acentuou-se a pressão sobre os açorianos que respondiam em contra-ataque.Até final do encontro Galrinho salvou dois golos mantendo a emoção até final. Júlio Batista rematou com perigo mas fora do marco, enquanto Ayrton parece ter sido derrubado na grande área numa das suas incursões pela esquerda. O Torres Novas acaba eliminado da Taça de Portugal quando, no mínimo, merecia ter discutido o prolongamento com os açorianos, que vão defrontar domingo o U. Leiria para a mesma competição, segunda eliminatória.Além de Galrinho, que fez algumas boas defesas, destaque para as exibições de Ayrton, Mauro e Major.Treinador satisfeito com a equipa e crítico com a arbitragemFernando Costa diz que faltou deixar o Torres Novas vencer a partida e manifestou-se orgulho dos seus jogadores. “Os jogadores jogaram bem, com qualidade de jogo, criaram oportunidades mas depois voltámos ao mesmo. E dentro das condicionantes não fomos felizes. A equipa está a jogar bem mas tem havido muitas condicionantes. Por isso disse ao árbitro no final que nos tinha saído a fava”, comentou Fernando Costa as incidências da partida. O técnico do Torres Novas lembrou que a equipa pressionou o adversário, que apenas jogou em contra-ataque. Considerou que foi um bom jogo e que ganhou uma equipa mesmo perdendo a eliminatória, dado ter 90 por cento de novos jogadores no plantel e algumas ausências por jogadores de férias e outros em trabalho. Do lado do Ribeira Brava, Jorge Santos disse que é sempre bom ganhar. “É sempre bom, mas não foi uma boa entrada no jogo. Levámos algum tempo até nos encontrarmos e reagir. Foi necessário estar novamente a perder e sofrer para entrar nos eixos e a jogar. Na segunda parte marcámos e penso que foi um resultado justo”, analisou o técnico. Três resistentes na TaçaAo perder com o Ribeira Brava, numa de três partidas que estavam em atraso da primeira eliminatória da Taça de Portugal, o Torres Novas deixou de jogar com o União de Leiria a contar para a segunda eliminatória, a disputar domingo. Os leirienses venceram o Boavista por 2-1. Da região sobram apenas três equipas na competição rainha do futebol português: o Fátima, que recebe o Sp. Pombal; o Cartaxo, que se desloca até Mirandela; o Alcanenense recebe a Oliveirense, da II Liga.

Mais Notícias

    A carregar...