uma parceria com o Jornal Expresso

Edição Diária >

Edição Semanal >

Assine O Mirante e receba o jornal em casa
31 anos do jornal o Mirante

Homem que matou para defender o genro numa rixa em Arcena apanha dez anos de prisão

Edição de 12.09.2012 | Sociedade
Foi condenado a dez anos de prisão efectiva o homem acusado de matar a tiro um morador de Arcena, Alverca, quando defendia o genro que estava a ser perseguido pela vítima e mais dois homens por ter urinado na parede de uma oficina. O Tribunal de Vila Franca de Xira condenou ainda João Laços, residente no concelho, a pagar 27760 euros aos familiares de Salvador Fernandes, que na altura tinha 50 anos. O acórdão, lido na terça-feira, 11 de Setembro, teve em conta o facto de o arguido não ter antecedentes criminais, de ter colaborado com a justiça e por ser “uma pessoa trabalhadora e respeitadora do próximo”. O tribunal foi também sensível ao facto de João Laços ter agido em legítima defesa. “O arguido tentou defender-se mas não há dúvida que houve a morte de uma pessoa. Poderia ter agido de outra forma, disparando para outro lado, para o ar e não contra o corpo dos ofendidos”, frisou a juíza. O genro de João Laços respondia por um crime de ofensa à integridade física. José Vargas foi condenado a uma multa de 600 euros. Os factos remontam ao dia 30 de Julho de 2011 na rua Diamantino de Sousa Barros, em Arcena. Por volta das 19h00 o arguido José Vargas deslocou-se junto da oficina e urinou numa das paredes. Dizia a acusação que o dono da oficina, Fransquinho Fernandes, se apercebeu da atitude do arguido e chamou-o à atenção, tendo recebido uma bofetada do arguido.José Vargas foi perseguido pelas ruas pelo trio Fransquinho Fernandes e mais dois homens que estavam na oficina, Victor Fernandes e Salvador Fernandes. Ao ver o genro a ser perseguido pelos três homens, João Laços muniu-se de uma pistola de calibre 7.65 que guardava em casa e saiu para a rua fazendo um disparo para o ar. Diz o Ministério Público que Salvador Fernandes tentou tirar-lhe a arma e deu-lhe três murros na cara. O arguido caiu no chão e os três homens aproximaram-se com a intenção de lhe tirar a arma. Terá sido nesse instante que João disparou contra os três, tendo atingido mortalmente Salvador Fernandes.

Mais Notícias

    A carregar...