uma parceria com o Jornal Expresso

Edição Diária >

Edição Semanal >

Assine O Mirante e receba o jornal em casa
31 anos do jornal o Mirante
Assembleia geral do Atlético de Pernes aprova suspensão de actividades desportivas

Assembleia geral do Atlético de Pernes aprova suspensão de actividades desportivas

Proposta de protocolo sem resposta da Câmara Municipal de Santarém coloca em causa o estatuto de utilidade pública do clube

Os sócios do Atlético Clube de Pernes, reunidos em assembleia geral extraordinária, realizada no dia 4 de Janeiro, votaram favoravelmente a proposta da direcção de suspensão de toda a actividade desportiva do clube e também o seu adiamento para o início de Fevereiro.

Edição de 08.01.2014 | Desporto
O Atlético de Pernes passa por uma situação de aperto financeiro e corre o risco de perder o Estatuto de Utilidade Pública. O clube já recebeu dois ofícios da Presidência do Conselho de Ministros a solicitar documentos que comprovem a manutenção dos pressupostos que levaram à atribuição do estatuto. Para manter o estatuto, o clube tem obrigatoriamente de enviar os documentos de contabilidade para a Secretaria Geral do Conselho de Ministros que não pode conter valores negativos. “Nesse ponto estamos em situação de insolvência técnica, uma vez que os capitais próprios têm valores negativos”, explicou o presidente Pedro Teopisto.Esta situação fica a dever-se sobretudo à falta de apoios prometidos e devidos pela Câmara Municipal de Santarém. Daí a direcção do clube ter enviado para a autarquia uma proposta de protocolo para colmatar esta situação. “Ainda não tivemos resposta da câmara municipal”, disse.Como ainda não houve resposta da autarquia, a direcção, que terminou o seu mandato em 31 de Dezembro de 2013, mantendo-se assim em gestão até ao dia 31 de Janeiro, propôs à assembleia que a partir do dia 11 e até 26 de Janeiro, todas as equipas do clube entrem em campo envergando uma t’shirt preta com o texto “Nós aqui no ACP, também somos filhos deste concelho”. Adiando para de 1 a 7 de Fevereiro a suspensão de toda a actividade desportiva. A proposta foi aprovada com 35 votos favoráveis, 4 votos contra e 1 abstenção. Assim até final do mês, a actual direcção vai manter a gestão corrente e terá como principal missão tentar resolver a questão da provável perda do estatuto de utilidade pública. Sem as verbas, que tinha previsto receber da Câmara Municipal de Santarém, o Atlético de Pernes está sem dinheiro para pagar as despesas correntes da sua actividade desportiva, nomeadamente, a renda do campo de futebol, a sua manutenção e as contas de água e luz, entre outras. A autarquia apoiou o clube com a colocação de um relvado sintético mas, em torno desse relvado, o clube realizou várias outras obras de beneficiação das instalações desportivas e de apoio à actividade associativa, contando com a promessa de apoio da autarquia. “Promessas que continuam por cumprir”.Pedro Teopisto reafirmou ainda o que já tinha dito anteriormente, falou da “discriminação” de que o Atlético de Pernes é alvo em relação a outros clubes do concelho. “Existem outros clubes a quem tudo é dado, a quem tudo é possibilitado para o exercício da actividade desportiva”.Câmara Municipal de Santarém valoriza o excelente trabalho feito pelo Atlético de PernesA Câmara Municipal de Santarém está atenta e procura formas de ajudar a resolver o problema. Em declarações a O MIRANTE a vereadora do Desporto, Inês Barroso, garantiu que a autarquia em conjunto com a direcção do Atlético de Pernes vai “encontrar formas de não defraudar o excelente trabalho que tem sido efectuado no clube e também uma forma de resolver o problema da possível perca do Estatuto de Utilidade Pública”.“Vamos fazer a primeira reunião com os clubes para entregar a proposta de um novo regulamento de apoios às actividades desportivas. A autarquia não tem verbas para subsídios, mas estamos à procura de encontrar outras formas de apoio”, disse a vereadora.Quanto aos subsídios em atraso Inês Barroso informou que essas verbas estão incluídas na segunda tranche do PAEL - Plano de Apoio à Economia Local que a autarquia está a diligenciar para ser recebida em Fevereiro. “Nessa altura faremos de imediato os pagamentos em dívida”, garantiu.Quanto ao facto das queixas de desigualdade de tratamento, Inês Barroso aceita que possa haver alguma razão dos clubes das zonas rurais, “problema que vamos rever nos novos procedimentos”. Mas referiu também que os clubes como o Atlético de Pernes também têm outros apoios a que os clubes da cidade não conseguem chegar. “Os clubes na generalidade tem o apoio das juntas de freguesia e outras entidades públicas”.“É verdade que a câmara coloca as suas instalações ao serviço dos clubes da cidade sem custos. No caso dos clubes como o Atlético de Pernes existem outros apoios, como foi o caso da colocação do piso sintético no seu campo de jogos, onde a autarquia investiu 58 mil euros”, disse a vereadora.
Assembleia geral do Atlético de Pernes aprova suspensão de actividades desportivas

Mais Notícias

    A carregar...