uma parceria com o Jornal Expresso

Edição Diária >

Edição Semanal >

Assine O Mirante e receba o jornal em casa
31 anos do jornal o Mirante

Novas instalações da Escola Profissional de Hotelaria de Fátima custam 9 milhões de euros

O investimento vai desenvolver-se numa área de 60 mil metros quadrados no enfiamento do Santuário de Fátima, a caminho da localidade de Moita do Martinho.

Edição de 08.01.2014 | Economia
A construção das novas instalações da Escola Profissional de Hotelaria de Fátima deverá custar nove milhões de euros, prevendo-se que parte esteja concretizada em 2017, revelou o director executivo da Insignare, associação detentora do estabelecimento de ensino.“A estimativa para a construção é esse valor”, disse à agência Lusa Francisco Vieira, explicando que o investimento vai desenvolver-se numa área de 60 mil metros quadrados no “enfiamento do Santuário de Fátima, a caminho da localidade de Moita do Martinho, junto à autoestrada”.O responsável informou que a construção está limitada a 8.000 metros quadrados, sendo o novo edifício “dividido em diferentes blocos”, que incluem espaços para aulas, refeitório, auditório, zonas de lazer e administrativas, restaurantes, bares e hotel de aplicação, entre outras áreas. A futura escola tem previsto, igualmente, pomar, vinha, floresta endógena, horta, jardim de aromas e animais.“Este enquadramento numa estrutura rural pretende que os nossos alunos, particularmente os de cozinha e restaurante, conheçam a evolução dos produtos vegetais e animais, desde a sua fase inicial à confecção”, esclareceu Francisco Vieira.Para o director executivo da Insignare, “isto permitirá aos estudantes um conhecimento mais aprofundado do que podem retirar de cada produto e vem de um conceito que marca a tendência da cozinha internacional, crescentemente saudável, equilibrada e natural”.O concurso para a elaboração dos projectos de arquitectura e engenharia de especialidades foi lançado em Dezembro, tem o valor fixo de 300 mil euros e inclui prémios de cinco mil euros cada, aos três finalistas, grupo do qual será seleccionado o ateliê vencedor. “No início do Verão contamos anunciar o vencedor”, afirmou Francisco Vieira, notando que o concurso só agora avançou porque foi necessário adquirir os terrenos, cujo custo rondou os 300 mil euros.O responsável acrescentou que a obra vai ser executada por fases, de acordo com o financiamento obtido para a concretizar, mas admitiu que “parte” estará concluída em 2017, quando se comemora o centenário dos acontecimentos da Cova da Iria.Actualmente a escola, com 300 alunos, tem a sua sede num edifício que serviu de seminário e, além de cursos de nível IV de Recepção, Restauração e Turismo, ministra formação contínua.“Gostaríamos, a exemplo do que vemos em muitas escolas da Europa, nesta área muito especializada, vir a desenvolver formação pré-superior ou superior”, referiu, destacando que “a referência Fátima é muito forte”, pelo que o projecto, “sendo inovador em termos nacionais, pode vir a assumir-se com algum protagonismo em termos internacionais e, no futuro, captar alunos de outros países”.Além da escola de Fátima, a Insignare - Associação de Ensino e Formação é proprietária da Escola Profissional de Ourém, do Centro de Formação Contínua e do Centro para Qualificação e Ensino Profissional. Tem, ainda, um gabinete de inserção profissional e fornece alimentação às crianças do pré-escolar e alunos do 1.º ciclo do concelho. São associados da Insignare a Associação Empresarial Ourém/Fátima, a Câmara de Ourém e o Centro de Estudos de Fátima.

Mais Notícias

    A carregar...