uma parceria com o Jornal Expresso

Edição Diária >

Edição Semanal >

Assine O Mirante e receba o jornal em casa
31 anos do jornal o Mirante
Maior parte do orçamento da Câmara de Almeirim para pequenas obras, educação e despesas com pessoal

Maior parte do orçamento da Câmara de Almeirim para pequenas obras, educação e despesas com pessoal

As obras de vulto de 2014 são a requalificação das escolas velhas e construção da força especial de bombeiros
Edição de 08.01.2014 | Política
A concretizar-se a maior obra da Câmara de Almeirim em 2014 é a requalificação do edifício das escolas velhas para o transformar num polo museológico e turístico. Já que a outra obra de vulto, a construção da força especial de bombeiros, vai ser paga na totalidade pelo estado e não tem influência no orçamento do município. Para as escolas velhas reservou-se uma verba de 580 mil euros no orçamento mas para o projecto avançar é necessário que seja aprovada uma candidatura a fundos comunitários. O presidente da autarquia, Pedro Ribeiro, está confiante na obtenção de financiamento prevendo que o próximo quadro comunitário vá disponibilizar verbas para este tipo de equipamentos. O orçamento da câmara é de 13,9 milhões de euros, menos 1,2 milhões que em 2013. A dotação da cultura baixou cerca de 300 mil euros e fica em 700 mil em 2014 mas há que ter em conta que no ano passado nesta rúbrica estava inscrita a construção da casa da cultura de Fazendas de Almeirim. A maior fatia do orçamento é gasta em ordenados e outras despesas com os funcionários, num total de 4,2 milhões de euros. As maiores dotações que se seguem são as da Educação com 1,1 milhões onde se destaca o valor de 600 mil euros de despesas com o serviço de auxiliares de ensino. Está também prevista a construção da primeira creche pública que apenas tem uma verba de 125 mil euros que dá para o projecto e manter a rúbrica aberta. Pedro Ribeiro diz que o objectivo é ter a rubrica aberta para o caso de haver fundos comunitários para esta área se avançar com o processo. A já velha ambição de fazer a ligação do Tejo à Vala de Alpiarça, tornando-a uma espécie de canal de rega para a agricultura, volta a aparecer no orçamento mas apenas com uma verba de cinco mil euros. É mais uma daquelas obras que fica à espera que existam candidaturas a fundos comunitários. O presidente da câmara sublinha que este é um projecto importante uma vez que permite “aliviar a pressão do consumo de água no subsolo através de furos artesianos”. A desenvolver-se esta será uma obra feita em parceria com a Câmara de Alpiarça e os agricultores. Dependente também da Europa está a continuidade da circular urbana.Pedro Ribeiro salientou que no final de 2014 a autarquia vai ter uma dívida à banca na ordem dos 7,7 milhões de euros resultantes de empréstimos ao longo dos anos que serviram para pagar obras apoiadas pela União Europeia. Considerando que é um valor que não coloca em causa a estabilidade financeira da câmara. O autarca diz mesmo que há a dívida má e a dívida boa e que fazer dívida para melhorar as condições de vida das populações não lhe levanta reservas. Este ano será o da construção da Casa Mortuária de Benfica do Ribatejo, há muito reivindicada, e o da conclusão do projecto do “Campo do Sporting” de Fazendas de Almeirim. Está prevista a instalação de um posto de turismo junto à praça de toiros e iniciar-se a requalificação do parque de merendas da Raposa e a recuperação de várias estradas do concelho. Relativamente a festejos, as festas da cidade têm um orçamento reduzido de 40 mil euros quando em outros anos chegou a ter 100 mil. Para apoio às colectividades está reservada uma verba de 255 mil euros.
Maior parte do orçamento da Câmara de Almeirim para pequenas obras, educação e despesas com pessoal

Mais Notícias

    A carregar...