uma parceria com o Jornal Expresso

Edição Diária >

Edição Semanal >

Assine O Mirante e receba o jornal em casa
31 anos do jornal o Mirante
Aumento do tarifário da Águas do Ribatejo justificado com investimentos feitos e a fazer

Aumento do tarifário da Águas do Ribatejo justificado com investimentos feitos e a fazer

Aumento do tarifário da Águas do Ribatejo justificado com investimentos feitos e a fazer

Edição de 22.01.2014 | Economia
Os administradores da Águas do Ribatejo (AR) garantiram que todo o dinheiro que a empresa intermunicipal gera é aplicado na construção de infra-estruturas que permitem melhorar e aumentar a cobertura do saneamento básico. O presidente do conselho de administração da AR, Moura de Campos, sublinha que o facto de a empresa não poder dar prejuízo é também uma das circunstâncias que obrigam ao aumento do tarifário este ano em cerca de 4,6 por cento. Um valor considerado elevado por alguns consumidores.A sessão de esclarecimentos sobre o tarifário da Águas do Ribatejo decorreu ao final da tarde de quinta-feira, 16 de Janeiro, no auditório da Biblioteca Municipal de Alpiarça. Na iniciativa participaram alguns cidadãos que se manifestaram contra o agravamento do preço da água que vai acontecer este ano, acusando a empresa de só pensar no lucro.Eduardo Costa referiu, recorrendo a informação do anuário de empresas de 2012, que a AR teve um lucro de 28 mil euros em 2009, ano em que iniciou actividade, tendo aumentado em 2010 para 355 mil euros e 611 mil euros em 2011. Em 2012 foi o seu melhor ano, com um lucro de 1 milhão e 500 mil euros. “O chavão que utilizam de aumentarem o tarifário para garantir a sustentabilidade da empresa não faz qualquer sentido”, referiu o munícipe na sessão de esclarecimentos. O director administrativo e financeiro da AR, Miguel Carrinho, explicou que os resultados de 2012 foram originados por motivos “alheios” à empresa, nomeadamente as taxas de juro que estiveram bastante abaixo dos valores previstos e também os atrasos em obras que, não estando concluídas, ao contrário do que estava previsto, não começaram a ser amortizadas nesse ano. “Em 2013 a AR vai ter que pagar mais de três milhões de euros em juros e amortizações de empréstimos. Em 2014 e 2015 prevê-se que esse valor aumente e vamos ter saldos semelhantes aos valores de 2011”, justificou Miguel Carrinho.Mário Santiago, eleito na Assembleia Municipal de Alpiarça (movimento independente TPA), começou por elogiar o desempenho da empresa mas deixou também alguns reparos. “Quem pagou este lucro da empresa fomos nós, clientes. O aumento que estamos a prever representa um lucro de 700 mil euros para a empresa. Será que este é o momento oportuno para o aumento, quando muitas famílias passam por graves dificuldades?”, questionou.Miguel Carrinho respondeu dizendo que o dinheiro que a empresa gera não é para distribuir pelos accionistas mas sim para reforçar o investimento nos sete concelhos. Explicou ainda que quando a empresa fala de sustentabilidade refere-se a médio e longo prazo, acrescentando que a AR tem previstos investimentos na ordem dos 130 milhões de euros até 2017 e 330 milhões de euros nos próximos 40 anos.Tendo em conta os resultados de 2012, em 2013 não houve aumento de tarifário, apesar de previsto no plano de viabilidade económica e financeira, e o aumento feito em 2014 (em média 3 por cento de aumento real a somar a 1,6 por cento da inflação prevista) acabou por ser inferior ao previsto (6,6 por cento), dada a sobrecarga a que as famílias já estão sujeitas. “Apesar do aumento não ser muito significativo, as famílias já enfrentam muitas dificuldades”, reconheceu Francisco Oliveira, admitindo que possa haver um alargamento do tarifário social.Moura de Campos exibiu uma tabela comparativa de tarifários de vários sistemas para mostrar que o da Águas do Ribatejo continua a ser dos mais económicos da região. O administrador recordou que desde 2009 a AR já investiu cerca de 2,3 milhões de euros no concelho de Alpiarça e que antes da entrada na empresa intermunicipal a situação era “muito negativa”. “Nenhum esgoto estava a ser tratado e estes eram descarregados directamente para a vala. Até final deste ano o concelho de Alpiarça terá todos os esgotos tratados. É aqui que o dinheiro está a ser gasto”, concluiu.
Aumento do tarifário da Águas do Ribatejo justificado com investimentos feitos e a fazer

Mais Notícias

    A carregar...