uma parceria com o Jornal Expresso

Edição Diária >

Edição Semanal >

Assine O Mirante e receba o jornal em casa
31 anos do jornal o Mirante
Ana Ricardo

Ana Ricardo

Empresária, 44 anos, Alverca do Ribatejo
Edição de 23.04.2014 | Agora falo eu
Já é tempo de Alverca ser a sede do concelho?Acho que sim. Antigamente só vinha à cidade para ir fazer compras a uma grande superfície comercial que aqui se encontra. Mas sempre achei estranho por que motivo Alverca não é a sede de concelho. A cidade já devia ter mais importância. Até porque tem todos os serviços essenciais, só lhe falta mesmo um tribunal e o hospital e mesmo esses estão perto. Se fecharem serviços públicos como as Finanças ou os Correios quem perde?Perdemos todos. Será algo mau para as pessoas que precisam desses serviços, para quem trabalha e fica no desemprego e para os comerciantes também, porque perdem clientes. A acontecer, é algo que não é de todo desejável. Esses serviços devem continuar. Por vezes aqui na loja aparecem pessoas a perguntar por serviços que continuam a não haver na cidade, como um balcão único ou uma loja do cidadão. Fazem muita falta para as pessoas poderem tratar de tudo num só sítio.O que dá mais gozo: uma máquina de escrever ou uma impressora?A máquina de escrever, claro. Antigamente tinha uma máquina de escrever, ainda do tempo em que andava na escola, e ainda hoje a tenho. É muito giro, apesar de já passar muito tempo sem a usar.Luta com o marido para conduzir o carro?Não, cada um tem o seu e não há questões (risos). Mesmo quando vamos juntos no mesmo carro pode ser ele a conduzir, não me importo. Convivemos bem um com o outro.O novo hospital de Vila Franca é um bom investimento?Considero que sim. Infelizmente já tive de ir para lá todos os dias durante três semanas, quando a minha sogra esteve internada. É um edifício muito bom, as instalações são boas, mas em termos de assistência está igual ao passado, pelo menos no que diz respeito aos tempos de espera. Não é que os profissionais que lá trabalham sejam maus, o problema é que falta mais gente para o hospital funcionar e atender as pessoas mais rapidamente.As redes sociais afastam-nos ou aproximam-nos?Depende de cada um. Pode haver quem ache importante por conseguir encontrar pessoas que não via há dez ou vinte anos. Mas por outro lado também isola muito as pessoas, não há aquele contacto pessoal de sair com amigos e estar a conviver com eles. Pessoalmente não sou grande apologista das redes sociais. Estou inscrito nelas por causa da loja mas não passo muito tempo na rede.Qual era a principal mudança que o governo devia fazer no comércio?Era reduzir impostos. As empresas têm uma grande carga de impostos que limita o investimento. Se o fizessem, mais pessoas poderiam investir em negócios, mesmo que fossem pequenos. São também esses negócios que ajudam o país, não são só as grandes empresas. Há quem tenha grandes ideias mas depois desista quando se deparam com toda a burocracia que é preciso para abrir um negócio. Só quem é empresário e passa pelas dificuldades vê o que se passa. Vale a pena ir votar nas próximas eleições europeias?Vale sempre. Normalmente voto sempre que há essa oportunidade. É um dever que a pessoa tem e se quer exprimir a sua opinião tem de votar. Posso não concordar com quem se apresenta e decide mas voto sempre.É daquelas pessoas que acha que precisamos de um novo 25 de Abril?Não, até acho que quem tem essa opinião só pode estar muito desesperado. Hoje em dia, apesar de todas as dificuldades, estamos bem, somos livres, mas afligem-me essas opiniões. Quando falamos em 25 de Abril o que me vem à cabeça é a palavra liberdade.Dia ou noite?O dia. Podemos fazer muita coisa e agora com a hora de Verão melhor ainda. Gosto de ver a luz na cidade.Praia ou campo?Já fui mais amante de praia, quando era nova, hoje em dia sou mais apreciadora do campo e da tranquilidade que ele oferece. Sabe bem de vez em quando afastar um pouco e descomprimir.
Ana Ricardo

Mais Notícias

    A carregar...