uma parceria com o Jornal Expresso

Edição Diária >

Edição Semanal >

Assine O Mirante e receba o jornal em casa
31 anos do jornal o Mirante

Os novos desafios da inovação e das tecnologias na produção estiveram em debate em Santarém

Nersant quer maior partilha de conhecimento entre centros de saber e empresas
Edição de 30.04.2014 | Economia
A transferência de tecnologia para empresas é um factor fundamental para estimular a inovação das mesmas. Por isso a Associação Empresarial da Região de Santarém - Nersant organizou no dia 23 de Abril, em Santarém, uma sessão onde debateu os novos desafios que se apresentam actualmente ao tecido empresarial. Os objectivos desta sessão foram estimular o encontro entre centros de saber e empresas da região, intermediar a criação de ligações entre empresas da região e centros de saber e identificar oportunidades para reforçar a colaboração desenvolvendo a inovação.A sessão de abertura esteve a cargo da direcção da Nersant enquanto a introdução do tema foi feita por Manuel Laranja, conhecido especialista em inovação. José Carlos Caldeira, do Instituto de Engenharia de Sistemas e Computadores do Porto, falou sobre estratégias, prioridades e as boas práticas das tecnologias de produção nos processos de re-industrialização. Ana Póvoa, do Instituto Superior Técnico, deu a conhecer os problemas e desafios inerentes ao projecto e planeamento de sistemas logísticos e de produção flexíveis.A sessão realizou-se no âmbito do INOVRibatejo, projecto da Nersant que tem como objectivo estimular a inovação de base tecnológica ao nível do desenvolvimento de novos produtos, processo ou serviços que venham a originar empresas com carácter mais inovador. A Nersant pretende ainda valorizar os resultados de I&DT e de desenvolvimento de novas tecnologias através da divulgação e demonstração desses resultados junto dos empresários e novos empreendedores, de modo a motivá-los conduzindo à criação de novas ideias de negócio.A transferência de tecnologia (ou transferência de conhecimento) pode ser encarada como um processo onde centros de saber e conhecimento científico e tecnológico trocam conhecimentos com organizações empresariais que os utilizam nos seus processos de inovação e introdução nos mercados de novos processos, produtos ou serviços. A transferência de conhecimento assenta num processo complexo de adopção de uma ideia, uma prática, know-how, na adopção de propriedade industrial dando origem a novos produtos ou a transformações nas operações ou nos processos produtivos da empresa.No domínio das tecnologias de produção existem actualmente novos e importantes desafios para a transferência de conhecimentos. Do paradigma da produção Lean, à produção flexível ou customização em massa, a visão da fábrica do futuro passa pela adopção de novas tecnologias e novos métodos de gestão industrial. É necessário voltar a debater a industrialização, não do ponto de vista da sua capacidade de gerar emprego, mas sim do ponto de vista da contribuição das capacidades locais de fabrico industrial para os ecossistemas de inovação regional e nacional.É mais ou menos consensual que um ecossistema de inovação sustentável não precisa apenas de boas ligações à I&D das Universidades, ou ao capital de risco. Não se pode assumir que, desde que se tenha I&D e Inovação de produto ou serviço, ou se detenham nomes de “marcas” com presença global, então teremos certamente mais inovação. Para mais informações sobre o projecto INOVRibatejo os interessados devem contactar o Departamento de Apoio Técnico, Inovação e Competitividade da NERSANT, através do número 249 839 500 ou através do e-mail datic@nersant.pt. As inscrições no evento são feitas no portal da NERSANT, em www.nersant.pt.

Mais Notícias

    A carregar...