uma parceria com o Jornal Expresso

Edição Diária >

Edição Semanal >

Assine O Mirante e receba o jornal em casa
31 anos do jornal o Mirante

Médio Tejo testou com sucesso modelo de transportes públicos a pedido

Edição de 18.06.2014 | Sociedade
O projecto-piloto de “Transporte Públicos a Pedido” dos utentes foi testado com sucesso em Mação, no primeiro semestre de 2013, sendo aquele o concelho do Médio Tejo que apresentava os piores níveis de oferta de transporte colectivo.“Apesar de algumas dúvidas iniciais, o projecto acabou mesmo por surpreender devido aos níveis de receptividade geral a este novo conceito de serviço, à pré-disposição das entidades locais em colaborarem no projecto, e ao nível da satisfação dos utentes, incluindo uma participação activa da população com sugestões de melhoria”, disse à agência Lusa o secretário executivo da Comunidade Intermunicipal do Médio Tejo (CIMTEJO).Segundo Miguel Pombeiro, entre Janeiro de 2013 e Maio deste ano, último registo desde que o projecto começou, “houve reservas em 76% dos dias e foram percorridos 15.000 quilómetros entre os vários percursos desenhados a unir lugares e aldeias”. Se este serviço público fosse feito numa base tradicional de transporte público regular, teriam sido percorridos 300 mil quilómetros durante os 17 meses do projecto.A experiência piloto de Transporte a Pedido arrancou no terreno a 21 de Janeiro de 2013 em parte do concelho de Mação, com cinco circuitos, 68 paragens e cerca de 4000 habitantes servidos (50% da população), apresentando-se como o concelho do Médio Tejo com a menor densidade populacional (18 habitantes/km2), uma população envelhecida (36% população com mais de 65 anos), e com um povoamento pulverizado em lugares de muito pequena dimensão (78% da população a residir em lugares com menos de 500 habitantes).Em Setembro do ano passado, seis meses depois, o projecto foi alargado a todo o concelho de Mação, já com oito circuitos, 112 paragens e cerca de 7300 habitantes servidos. Com a cobertura total do concelho de Mação, o Transporte a Pedido foi alargado ao Sardoal e a sete freguesias do norte do concelho de Abrantes, tendo hoje uma população de cerca de 20 mil habitantes (8% da população do Médio Tejo) servida no conjunto dos três concelhos, com cinco novos circuitos e 126 novas paragens.O custo mensal do serviço é de cerca de mil euros para a autarquia de Mação, tendo Miguel Pombeiro feito notar que “o alargar do serviço a outros municípios “vai permitir a diluição dos custos fixos, e o ajuste das condições de serviço e negociação conjunta permitem estimar uma redução de encargos operacionais da ordem dos 30%”.Neste momento, em estudo, estão soluções de transporte a pedido para os concelhos de Ourém, Tomar, Vila Nova da Barquinha e zona sul do concelho de Abrantes, sendo que a CIMTEJO pretende operacionalizar o alargamento do Transporte a Pedido a todos os outros concelhos do Médio Tejo, à excepção do Entroncamento, “de forma progressiva e sustentada”.

Mais Notícias

    A carregar...