uma parceria com o Jornal Expresso

Edição Diária >

Edição Semanal >

Assine O Mirante e receba o jornal em casa
31 anos do jornal o Mirante

Modelo da Águas do Ribatejo apontado como exemplo pelos seus dirigentes

Autarcas de Almeirim e de Benavente participaram na Conferência Nacional da Água, onde sublinharam o facto de os estatutos da empresa intermunicipal impedirem a possibilidade de aquisição da empresa por privados.

Edição de 26.11.2014 | Economia
O modelo de gestão da empresa intermunicipal Águas do Ribatejo é considerado pelos seus dirigentes como “o mais amigo dos clientes e o que melhor defende os interesses dos cidadãos”, pois considera a água como bem fundamental e está blindado estatutariamente à entrada de accionistas privados. Essa tese foi defendida pelos presidentes das Câmaras Municipais de Benavente, Carlos Coutinho (CDU), e de Almeirim, Pedro Ribeiro (PS), durante a Conferência Nacional da Água que decorreu a 18 e 19 de Novembro em Lisboa.Carlos Coutinho, vogal do conselho de administração da Águas do Ribatejo, acredita mesmo que o modelo da empresa pode ser um exemplo para o país pois defende a água como bem fundamental, mantendo um sistema que é determinado pela vontade dos municípios e seus eleitos na defesa dos superiores interesses da sua população.Já Pedro Ribeiro, igualmente citado em nota de imprensa da Águas do Ribatejo, sublinhou a vontade dos autarcas blindarem os estatutos da empresa à entrada de parceiros privados, prevenindo assim as investidas de eventuais interessados na aquisição da empresa que gere os sistemas de abastecimento de água e de saneamento básico em sete concelhos da região. O autarca de Almeirim realçou ainda a “enorme” solidariedade existente entre os municípios associados, reflectida no facto de todas as decisões serem tomadas por unanimidade. “ Em cinco anos, investimos 110 milhões de euros, nos sete municípios, mantendo um tarifário socialmente equilibrado e justo”, referiu o presidente da assembleia geral da Águas do Ribatejo, para enfatizar os méritos de um projecto que gerou “muitas desconfianças e mau estar”.Os autarcas ribatejanos intervieram no “Grande Debate: Soluções para a Reestruturação Territorial dos Sistemas em Baixa”, que contou com quatro exemplos diferentes de gestão no sector, na manhã de 18 de Setembro. A parceria para a verticalização, a concessão municipal a privados, a solução intermunicipal com gestão delegada a empresa de capitais públicos e a parceria pública apenas para os serviços em baixa foram os exemplos apresentados.Poças Martins, moderador do debate, fez o quadro comparativo que permitiu concluir que o tarifário da Águas do Ribatejo é o mais económico na água e no saneamento, sendo o valor médio da factura para uma família tipo de 3 pessoas, com um consumo de 10 metros cúbicos mensais, na ordem dos 15 euros.

Mais Notícias

    A carregar...