uma parceria com o Jornal Expresso

Edição Diária >

Edição Semanal >

Assine O Mirante e receba o jornal em casa
31 anos do jornal o Mirante
Nova peça do Veto Teatro Oficina revive “A Tomada de Santarém”

Nova peça do Veto Teatro Oficina revive “A Tomada de Santarém”

Sobe ao palco do Teatro Sá da Bandeira no sábado e no domingo
Edição de 11.03.2015 | Sociedade
Reflectir sobre a cidade e as gentes de Santarém e apelar à tolerância religiosa são os dois grandes objectivos da peça de leitura dramatizada “A Tomada de Santarém” que o Veto Teatro Oficina vai apresentar, no Teatro Sá da Bandeira, em Santarém, no fim-de-semana de 14 e 15 de Março.“A Tomada de Santarém” aos mouros pelo rei D. Afonso Henriques, em 1147, é o mote desta encenação que conta com a participação das Academias de Ballet e de Recriação Histórica do CCS. O amor proibido de D. Gaspar de Sousa e da donzela moura Zoraida vai servir de espelho aos conflitos religiosos que se viviam na época entre cristãos e muçulmanos.“A peça conjuga a narrativa, a espiritualidade da dança e a crueldade da guerra representada pela esgrima”, explica o director e encenador, Nuno Domingos. Os actores do Veto Teatro Oficina vão estar em palco, de papel na mão, a dar voz e expressão facial ao espectáculo. As danças introduzem a dimensão espiritual da conquista e a ambiência medieval-islâmica protagonizada pelas bailarinas. Os elementos do Grupo de Recriação Histórica “Os Scalabitanos” vão funcionar como uma espécie de “janela do tempo” que recria a forma de estar e de viver na época em que foi travada esta guerra ideológica pela conquista do território de “Shantarin”.“A Tomada de Santarém” sobe ao palco do Teatro Sá da Bandeira no sábado, 14 de Março, pelas 21h30 e no domingo, 15 de Março, pelas 16h00. Mais de quatro dezenas de bailarinas e actores vão estar em palco para dar vida a este espectáculo que surge como uma resposta ao desafio lançado pelo Município de Santarém de desenvolver uma programação cultural direccionada para a reabilitação do centro histórico da cidade. Encarnação Noronha coordena as coreografias e a direcção de esgrima está a cargo de Paulo Cruz. O guião da peça, elaborado por Nuno Domingos, é uma adaptação de parte da peça homónima da autoria de José Maria Bordalo, que já havia sido representada em 1969, no Teatro Rosa Damasceno, em Santarém.
Nova peça do Veto Teatro Oficina revive “A Tomada de Santarém”

Mais Notícias

    A carregar...