uma parceria com o Jornal Expresso

Edição Diária >

Edição Semanal >

Assine O Mirante e receba o jornal em casa
31 anos do jornal o Mirante
Amigos músicos juntaram-se e construíram Três Bairros

Amigos músicos juntaram-se e construíram Três Bairros

Projecto ligado ao fado nasceu em Santarém graças à cumplicidade de Guilherme Madeira, João Correia e Ricardo Gama, que nasceu numa tuna académica do politécnico da cidade.

Edição de 06.01.2016 | Cultura e Lazer
Três Bairros é o nome do novo projecto musical que nasceu em Santarém pelas mãos de três amigos que se conheceram na cidade há cerca de quinze anos. Em 2015, Guilherme Madeira, João Correia e Ricardo Gama juntaram-se para formar algo que trouxesse o melhor da musicalidade que há em cada um, combinando vários géneros e formas de abordar a música. Dizem que a música que fazem está entre o fado canção e o fado tradicional. A apresentação oficial do grupo foi em Novembro de 2015 no Convento de São Francisco, em Santarém. Já disponibilizaram dois vídeoclipes no youtube, “Anoitecer no Tejo” e “Grilo Coceirão”. João Correia, 24 anos, toca viola, Guilherme Madeira, 26 anos, dá voz às letras do conjunto, e Ricardo Gama, 36 anos, toca guitarra portuguesa. Conheceram-se na Scalabituna, tuna académica do Instituto Politécnico de Santarém e partir daí nasceu uma amizade que viria a fazer com que os três se juntassem para fazerem aquilo que mais gostam: música.Nenhum é de Santarém e cada um traz na bagagem uma história. João Correia nasceu em Lisboa e aos cinco anos veio viver para a cidade ribatejana. João sempre quis ser músico mas o pai não achava muita piada e obrigou o rapaz a tirar um curso de Administração Pública na Escola Superior de Gestão de Santarém, em troca de, ao mesmo tempo que tirava o curso, poder estudar viola no Conservatório. O curso acabou-o “com boas notas”, diz a O MIRANTE mas nunca chegou a trabalhar na área. Ricardo Gama veio de Sintra, estudou no Conservatório de Santarém enquanto se licenciava em Engenharia Alimentar na Escola Superior Agrária de Santarém. Chegou mesmo a trabalhar na área do seu curso, na avaliação de projectos para os fundos comunitários no IFADAP durante dois anos, mas percebeu que podia viver da música e foi atrás do sonho. Ricardo para além de fundador do Três Bairros também é um dos fundadores da Scalabituna. Neste momento dá aulas no Conservatório de Santarém. Guilherme Madeira, alentejano de Mértola, reside em Santarém há vários anos e é o elemento mais reservado do grupo. Não chegou a concluir a licenciatura em Artes Plásticas e Multimédia na Escola Superior de Educação e sempre viveu da música integrando vários projectos musicais. Todos vivem exclusivamente da música. Ricardo Gama também está envolvido em vários projectos, mas queria criar um grupo que fosse só dele, onde pudesse tocar originais e convidar outros artistas. Confessa que nestes primeiros três meses de Três Bairros “já aconteceram muitas coisas boas”. As letras e músicas são compostas por todos e a inspiração vem dos seus gostos musicais que vão desde o heavy metal até ao fado. Não consideram que o fado “esteja na moda”, mas que se adaptou aos tempos e agrada mais às pessoas. “Os portugueses têm mais orgulho na música portuguesa que é feita hoje em dia. O fado também está a ser mais falado porque foi considerado Património Imaterial da Humanidade pela UNESCO”, referem. Oferta cultural musical em Santarém é fracaOs elementos do Três Bairros consideram que a “oferta cultural da cidade de Santarém é muito fraca. Existe o Teatro Sá da Bandeira que tem algumas peças de teatro e sessões de cinema mas em termos de música é muito fraca. Os nomes sonantes da música raramente cá passam, para assistir a um concerto desses nomes temos que sair da cidade. Não nos cabe a nós criticar mas é uma verdade”, concluem.
Amigos músicos juntaram-se e construíram Três Bairros

Mais Notícias

    A carregar...