uma parceria com o Jornal Expresso

Edição Diária >

Edição Semanal >

Assine O Mirante e receba o jornal em casa
31 anos do jornal o Mirante
“Quando os meus netos nasceram estive quatro semanas ausente e os meus pacientes estranharam”

“Quando os meus netos nasceram estive quatro semanas ausente e os meus pacientes estranharam”

Maria Helena Martins, médica especialista, sócia-gerente do Centro Clínico do Choupal, Santarém

Em pequena já brincava aos médicos e sonhava ter essa profissão. No entanto, também se licenciou em Educação de Infância, profissão que exerceu enquanto tirava o curso de medicina. Quando estava apta para exercer a profissão de médica deixou de ser educadora de infância. Recorda o seu pai como um homem extraordinário, com uma mentalidade muito aberta que sempre incentivou todas as mulheres da família à realização profissional. Passa metade da semana em Santarém, onde é sócia-gerente do Centro Clínico do Choupal, desde a sua fundação em 1989. Adora viajar e cozinhar para a família e amigos.

Edição de 20.01.2016 | Três Dimensões
Em criança já sonhava ser médica. Desde pequena que sempre tive o sonho de ser médica e era normal brincar aos médicos, sozinha ou acompanhada. Foi sempre uma paixão que me acompanhou toda a vida. Só não sabia que especialidade queria exercer. Essa decisão só surgiu na faculdade. Ainda pensei em pediatria mas acabei por optar por fisiatria que é uma área que sempre me fascinou muito.Além de medicina também me licenciei em Educadora de Infância, profissão que exerci durante alguns anos. A razão porque tirei dois cursos em simultâneo foi devido ao facto de ter acontecido o 25 de Abril de 1974. Quando estava no antigo 7º ano do liceu as Faculdades não abriram pelo que me matriculei no curso de Educadora de Infância. De seguida também iniciei o curso de Medicina no Hospital de Santa Maria. Acabei por fazer os dois cursos ao mesmo tempo. Quando acabei o primeiro curso, trabalhei na creche do Hospital de Santa Maria e continuei a fazer o curso de Medicina. Tinha aulas de manhã e trabalhava toda a tarde até às oito da noite. Assim que acabei o curso de medicina deixei o trabalho de educadora de infância e iniciei a minha carreira médica.O meu pai sempre nos incentivou à realização profissional. Este percurso de início da minha vida profissional teve muito a ver com a influência que tive do meu pai, que faleceu quando eu tinha 17 anos. Era uma pessoa extraordinária, engenheiro de profissão, com uma mentalidade muito aberta e que sempre nos influenciou no sentido da realização profissional, tanto a mim como à minha irmã e à minha própria mãe. Esta herança que recebi dos meus pais foi um estímulo muito valioso e que tem influenciado toda a minha vida.Sou de Lisboa mas há cerca de cinco anos passei a viver entre Santarém e Lisboa. Em 1989, recebi o convite para abrir o Centro Clínico do Choupal, em Santarém. Não conhecia nada do Ribatejo mas aceitei o desafio porque sempre quis ter algo meu. Ao início só vinha uma vez por semana a Santarém e como não havia auto-estrada demorava uma hora e meia de viagem. Agora, como a clínica cresceu, tenho cá casa passando parte do meu tempo aqui.Nunca estive mais de uma semana de férias. Quando os meus netos nasceram estive quatro semanas ausente e os meus pacientes estranharam (risos). Sempre disse que um dia que fosse avó diminuía o ritmo de trabalho para proporcionar mais tempo com os meus netos do que proporcionei aos meus filhos. Foi sempre difícil conciliar a actividade profissional com o papel de mãe mas dei o máximo de tempo útil possível aos meus filhos. Tenho muito orgulho nos meus dois filhos, uma filha com 32 anos a viver em S. Paulo - Brasil e que foi agora mãe de gémeos e um filho que é médico dentista e trabalha em Santarém e Alverca.Adoro viajar com as pessoas que gosto. Uma das minhas viagens preferidas foi a Veneza [Itália] e seria capaz de lá voltar. É uma cidade romântica e achei muito bonita. A minha irmã uma vez disse-me: “perde-te em Veneza” e segui o conselho dela. Soube-me muito bem perder-me naquelas ruas e praças tão antigas, ouvir musica nas ruas, etc.Adoro conviver com amigos e família. Tenho imenso prazer em organizar festas com amigos. Gosto de cozinhar para os amigos. Dá-me prazer reunir 30, 40 amigos em casa e cozinhar. Bacalhau com natas e caril de gambas são os pratos que faço melhor.Ana Isabel Borrego
“Quando os meus netos nasceram estive quatro semanas ausente e os meus pacientes estranharam”

Mais Notícias

    A carregar...