uma parceria com o Jornal Expresso

Edição Diária >

Edição Semanal >

Assine O Mirante e receba o jornal em casa
31 anos do jornal o Mirante
Rio Maior tem mais encanto na hora da despedida

Rio Maior tem mais encanto na hora da despedida

Presidente da República foi visitar oficialmente a cidade um mês antes de deixar o cargo

Aníbal Cavaco Silva elogiou a aposta estratégica feita pelo município ao longo dos anos no sector do desporto e inteirou-se sobre a história e actividade da extracção de sal num contra-relógio que durou uma tarde.

Edição de 10.02.2016 | Sociedade
A um mês de deixar o Palácio de Belém, o Presidente da República Aníbal Cavaco Silva visitou pela primeira vez Rio Maior nessas funções. Foi na tarde de quarta-feira, 3 de Fevereiro, que o Chefe de Estado completou com sucesso um autêntico contra-relógio pela Cidade do Desporto para conhecer as salinas, o complexo desportivo e centro de estágios e ainda uma unidade industrial das Carnes Nobre.Cavaco Silva não teve os banhos de multidão de outros tempos, mas foi bem recebido pelos populares com quem dialogou nas Marinhas do Sal, onde escutou muitas explicações sobre a história e actividade da extracção de sal, dadas por um responsável da cooperativa que explora as salinas e pela presidente da Câmara de Rio Maior, Isaura Morais. O presidente teve até oportunidade de provar uma filhós num estabelecimento local, desta vez sem embaraços mediáticos, como em tempos houve com uma famigerada fatia de bolo-rei.Acompanhado por numerosa comitiva de entidades locais e distritais, autarcas locais e de concelhos vizinhos, funcionários do município e a comunicação social nacional que o segue para todo o lado, Cavaco Silva passeou descontraidamente ao sol entre o aglomerado de casas de madeira, em contraste com o controlo apertado que a segurança exerceu sobre os jornalistas, sobretudo os que queriam captar imagens. Depois do sal, as carnes, com a visita à indústria que é a maior empregadora do concelho. E foi já com algum atraso sobre a hora prevista, mas ainda em bom ritmo, que Cavaco Silva chegou ao Centro de Estágios de Rio Maior, menina dos olhos do poder local, onde a esperava a tuna Bagatuna da Escola Superior de Desporto com uma canção e um garrafão cujo conteúdo o presidente não quis provar. Porque o doping é proibido, como muito bem sabem também os vários atletas olímpicos ali presentes, entre eles a veterana Susana Feitor a quem Cavaco desejou mais uma presença olímpica (a sexta da carreira) no próximo Verão. E num país onde o futebol é o desporto-rei não podia faltar também o pontapé na bola, com a comitiva a assistir a uns toques das jovens da selecção sub-19 que ali estagia e com quem Cavaco Silva alinhou para a foto da praxe para mais tarde recordar. Para acrescentar peso institucional ao momento, não faltaram o presidente da Federação Portuguesa de Futebol Fernando Gomes, o ex-seleccionador nacional e dirigente Humberto Coelho, bem como o presidente do Comité Olímpico de Portugal, José Manuel Constantino.Depois de uma visita às instalações do centro de estágios, onde viu triatletas a treinar e em massagens e elogiou as condições dos quartos, o Presidente da República descansou breves minutos e fez-se ao apinhado e engravatado auditório onde decorreram os discursos da praxe para rematar a jornada. O lapso da autarca e os elogios do PresidentePrimeiro falou a anfitriã, Isaura Morais, que logo nos cumprimentos formais revelou involuntariamente que os seus conhecimentos futebolísticos andam a necessitar de revisão, ao chamar Fernando Santos (actual seleccionador de futebol) ao presidente da federação Fernando Gomes. Corrigido o lapso, a autarca não se inibiu e falou de “um dia que muito honra Rio Maior”, por poder mostrar o dinamismo do concelho, alguma da sua beleza natural e o investimento feito pelo município na área do desporto, que “é sempre motivo de orgulho”.Cavaco Silva concordou com a autarca e não poupou nos elogios. “Em tempo, a Câmara Municipal de Rio Maior, com optimismo, confiança e visão, criou os alicerces da Cidade do Desporto. Hoje, o complexo desportivo de Rio Maior é exemplar”, disse. E mais à frente o Chefe de Estado sublinhou: “Hoje todos reconhecem o potencial económico da indústria do desporto e a importância de formar os melhores técnicos nesta área. Não é seguramente por acaso que há vários portugueses entre os melhores desportistas e treinadores do mundo. Em Rio Maior apostou-se, antes dos outros, numa área prometedora. Foi necessário ser optimista, ter visão, saber pensar em grande”. Isaura Morais deve deve ter ficado com o ego cheio, tal como o seu antecessor na autarquia, Silvino Sequeira, igualmente presente.Bagatuna deu música ao PresidenteA Bagatuna, tuna masculina da Escola Superior de Desporto, teve um momento alto no seu percurso ao tocar pela primeira vez para o Presidente da República. Cavaco Silva gostou do que ouviu e dos saltos que um tunante mais ágil foi dando ao som da música, referindo no final que se houvesse Jogos Olímpicos para tunas a Bagatuna faria certamente boa figura. Provavelmente graças ao “doping” que tinham num garrafão e que o Chefe de Estado rejeitou provar apesar das insistentes ofertas. Mulheres para todo o serviçoFátima Santos, Ana Matias, Ivone Lopes, Sara Boavida e Rosinda Frazão (da direita para a esquerda). Na tarde da visita presidencial estas cinco mulheres tiveram os seus minutos de fama e não se inibiram. Rodeadas de câmaras de televisão, de fotógrafos e outros profissionais da comunicação social, continuaram compenetradas no seu trabalho de limpeza do sal antes de ser embalado para exportação.Todas vivem na zona e todas são funcionárias da dinâmica Cooperativa Agrícola dos Produtores de Sal de Rio Maior há já uns bons anos. Para além da limpeza do sal, trabalham também na safra e na embalagem do sal. “Somos mulheres para todo o serviço”, resume uma delas com uma gargalhada.
Rio Maior tem mais encanto na hora da despedida

Mais Notícias

    A carregar...