uma parceria com o Jornal Expresso

Edição Diária >

Edição Semanal >

Assine O Mirante e receba o jornal em casa
31 anos do jornal o Mirante
Prevenir é melhor que remediar, especialmente quando se trata da nossa saúde!

Prevenir é melhor que remediar, especialmente quando se trata da nossa saúde!

Edição de 05.05.2016 | Especial Saúde

Joana Soeiro*

A ida ao médico dentista permite actuar precocemente na prevenção e tratamento de diversas doenças orais. É muito importante que as crianças iniciem as visitas ao dentista desde que erupcionam os primeiros dentes (6 meses de idade), de modo a ser possível instruir os pais com técnicas correctas de higiene oral, melhorar os conhecimentos acerca da alimentação e diminuir a prevalência da cárie dentária. A prevenção deve ter início na gravidez e ser reforçada periodicamente.
Na nossa clínica aderimos ao Programa Nacional de Promoção da Saúde Oral, que possibilita a intervenção em crianças e adolescentes até aos 18 anos de idade através do Cheque-Dentista, permitindo a prevenção e também o tratamento de doenças orais de forma gratuita.
PRINCIPAIS PROBLEMAS DE SAÚDE ORAL
Gravidez: - Alimentação: fazer dieta equilibrada; - Promoção da saúde antes do nascimento do bebé; - Prevenção inicia-se com a educação dos pais.
Desde o nascimento aos 3 anos: - Cárie de biberão ou de rampante: surge especialmente em crianças que dormem com o biberão na boca, o leite (que contem lactose, um açúcar) acumula-se na boca e pode levar ao aparecimento de lesões de cárie nos dentes incisivos superiores e nos molares;
- Traumatismos dentários: mais comum nos incisivos centrais, especialmente a partir do momento em que as crianças começam a andar;
- Hábitos de sucção (chupeta, polegar): devem ser descontinuados a partir dos 24 meses, pois podem afectar gravemente o crescimento ósseo dos maxilares e prejudicar a oclusão;
- Higiene oral: os pais devem iniciar a higienização das gengivas do bebé após a amamentação com dedeiras ou com compressas, a partir dos 24 meses deve ser estimulada a utilização da escova dos dentes.
Dos 3 aos 6 anos: - Erupção dos primeiros molares definitivos: importante fazer prevenção da cárie nos dentes definitivos pois já não vão cair, nesta fase devem ser realizados selantes de sulcos e fissuras;
- Risco de cárie: devem ser realizados tratamentos preventivos para evitar o aparecimento de lesões de cárie, as alterações na alimentação (consumo de mais alimentos açucarados) podem levar ao aumento do risco de cárie;
- Higiene oral: deve ser estimulado um auto-cuidado com higiene oral, supervisionado pelos pais;
- Hábitos parafuncionais: é comum as crianças terem problemas como o bruxismo (“ranger os dentes”), especialmente no período nocturno;
- Problemas ortodônticos/Má oclusão: poderá ser necessário o tratamento ortodôntico preventivo ou interceptivo para corrigir problemas de oclusão, sendo feitos estudos de respiração, fonação, deglutição, hábitos orais.
Dos 6 aos 12 anos: - Dentição mista: nesta fase apesar de a criança estar numa fase de mudança de dentição não devem ser descurados os cuidados com a higiene oral, o risco de cárie continua presente mesmo depois de os dentes de leite caírem, importante a realização de selantes dos dentes definitivos;
- Higiene oral: deve ser promovida a autonomia da criança para escovar os dentes sozinha, devendo aprender também a utilizar o fio dentário e, consoante a necessidade de cada um, poderá ser indicado fazer também um colutório/bochecho com flúor;
- Traumatismos dentários: especialmente em rapazes dos 7 aos 11 anos, ao praticarem actividades como correr e nas brincadeiras próprias da idade;
- Problemas ortodônticos/Má oclusão.
Na adolescência: - Dentição definitiva: ter em atenção que os dentes definitivos devem ser vigiados e bem cuidados para permanecerem hígidos, uma vez que já não vai haver substituição da dentição;
- Alterações hormonais: podem levar a quadros de gengivite que devem ser controlados, a dificuldade em higienizar correctamente pode levar a um aumento da placa bacteriana e consequentemente do risco de cárie;
- Sisos/Terceiros molares: os dentes “do juízo” podem erupcionar nesta fase ou estar impactados ou inclusos, pode ser necessária intervenção cirúrgica para a sua extracção.
MEIOS DE PREVENÇÃO
A cárie dentária é uma das doenças mais comuns da população mundial, é uma doença multifactorial, sendo “açúcar-dependente”. Actualmente é possível paralisar a actividade de uma lesão de cárie com meios de controlo de placa bacteriana.
O método preventivo com recurso a escovagem com pastas dentífricas fluoretadas permite um melhor controlo da placa bacteriana e também a prevenção da cárie, influenciando também o factor estético. Todos deveríamos escovar os dentes três vezes por dia, tendo o cuidado de utilizar também fio dentário diariamente.
O flúor
O flúor tem um papel muito importante na prevenção e controlo da cárie dentária, permite o fortalecimento do esmalte e diminuir a susceptibilidade dos dentes às lesões de cárie.
A aplicação tópica de flúor deve ser realizada desde a erupção dos dentes, através de pastas dentífricas fluoretadas, durante a escovagem. A administração de flúor sistémica não deve ser efectuada em grávidas nem em crianças com menos de 3 anos, a partir dos 3 anos deve ser controlada pelo médico dentista e/ou médico de família.
É importante que o médico dentista adeqúe as doses de flúor a cada criança, permitindo uma utilização racional e controlada do flúor. Quando administrado de forma excessiva e sem supervisão médica/profissional pode levar a quadros de toxicidade que podem comprometer gravemente a saúde.
A pasta dentífrica fluoretada constitui um dos meios de prevenção da cárie mais eficazes, a dosagem de flúor da pasta deve ser ajustada às necessidades de cada criança, sendo necessária a monitorização de um médico dentista. Até aos 6 anos deve ser utilizada uma quantidade de pasta semelhante ao tamanho de uma ervilha, a partir dos 6 anos e até à idade adulta deve ser utilizado cerca de 1 cm de pasta.
Os selantes de sulcos e fissuras permitem a protecção mecânica e química de algumas superfícies dentárias contra as lesões de cárie, durante longos períodos de tempos (vários anos). Os vernizes e os géis de flúor podem ser aplicados também como meios de protecção contra a cárie, os vernizes aplicados de 6 em 6 meses podem reduzir para metade a incidência de cárie. Os bochechos fluoretados constituem um meio adicional de prevenção, podem ser realizados semanalmente ou quinzenalmente, idealmente a partir dos 6 anos, não devendo ser utilizado como substituto da escovagem.
A alimentação
Além do controlo da placa bacteriana é muito importante controlar a alimentação de modo a reduzir o consumo de açúcares simples que aumentam o risco de cárie. As bactérias que provocam as cáries dentárias são sacarose-dependentes, ou seja, quanto maior for a ingestão de sacarose/açúcar, maior é o risco dessas bactérias levarem ao aparecimento de cáries.
Os alimentos açucarados e pegajosos (gomas, caramelos, por exemplo) têm maior poder cariogénico por ficarem aderidos aos dentes por longos períodos de tempo. Quanto maior a frequência com que são ingeridos alimentos, maior o risco de cárie. As bebidas açucaradas (refrigerantes, chás gelados industrializados, etc.) são a principal fonte de açúcar simples adicionado à dieta das crianças, devendo ser substituídas por água.
Devem ser realizados planos de nutrição adequados e equilibrados para cada criança, tendo em conta a diminuição dos riscos de doenças orais e também de doenças sistémicas (diabetes tipo II, obesidade, dislipidemias, etc).
As idas ao dentista
O médico dentista actua não só na prevenção e no tratamento das doenças orais, como na promoção da saúde oral e geral!
É importante ter uma boa saúde oral para que o corpo se encontre em equilíbrio e com saúde. A presença de doenças como a cárie dentária pode levar a problemas de crescimento e desenvolvimento físico e psicológico das crianças, e consequentemente a problemas graves relacionados com a auto-estima e confiança.
A intervenção precoce do médico dentista é fundamental para o normal desenvolvimento e para a saúde geral da criança, desde que nasce o primeiro dentinho. É muito importante realizar tratamentos preventivos para evitar o aparecimento de cáries e outros problemas. Uma vez instalados os problemas orais, é essencial a intervenção atempada do médico dentista com o objectivo de tentar travar e resolver esses problemas (tratamento de cáries, aparelhos ortodônticos, remoção de hábitos parafuncionais, etc.).
Quanto mais cedo se iniciarem as consultas de medicina dentária, melhor é para a criança que vai criando uma relação de confiança com o seu médico dentista que pode durar toda a vida!
Não hesite em levar o seu filho ao médico dentista! É sempre melhor prevenir do que remediar, não se esqueça que uma criança com dor de dentes não pode comer, dormir, brincar ou ter bons resultados na escola.
Na nossa clínica temos médicos dentistas que podem auxiliar o seu filho na aprendizagem das técnicas de escovagem, na utilização de fio/fita dentário, que podem fazer o rastreio e controlo de hábitos dietéticos, efectuar o diagnóstico e plano de tratamento para o seu filho, que poderá incluir tartarectomias (“limpezas”), selantes de sulcos e fissuras, tratamento de cáries, de problemas de esmalte, de traumatismos e/ou tratamentos ortodônticos e que estão disponíveis para esclarecer quaisquer dúvidas que tenha!
*Médica Dentista (OMD 9756)
Clínica Boca a Boca

Prevenir é melhor que remediar, especialmente quando se trata da nossa saúde!

Mais Notícias

    A carregar...