uma parceria com o Jornal Expresso

Edição Diária >

Edição Semanal >

Assine O Mirante e receba o jornal em casa
31 anos do jornal o Mirante
Lares ilegais são um cancro e fazem concorrência desleal às IPSS
Hilário Teixeira e Eduardo Mourinha, presidentes da direcção e da assembleia-geral da União Distrital das IPSS de Santarém

Lares ilegais são um cancro e fazem concorrência desleal às IPSS

O novo presidente da direcção da União Distrital das Instituições Particulares de Solidariedade Social de Santarém critica a proliferação de estruturas ilegais para acolhimento de idosos na região e defende a criação de centros de noite em zonas mais despovoadas aproveitando edifícios sem uso.

Edição de 17.06.2020 | Sociedade

Os lares ilegais continuam a ser um cancro no distrito de Santarém, considera o novo presidente da direcção da União Distrital das Instituições Particulares de Solidariedade Social (UDIPSS) de Santarém, Hilário Teixeira. A tomada de posse dos órgãos sociais para o próximo triénio decorreu no sábado, 6 de Junho, na Estação Zootécnica Nacional, em Santarém.
Segundo Hilário Teixeira, as autoridades devem encarar este problema de frente de forma a acabar com este tipo de concorrência desleal e dar mais atenção às instituições legais, nomeadamente as instituições do sector não lucrativo, onde todos trabalham voluntariamente.
Durante a cerimónia o dirigente defendeu ainda a aposta na qualificação dos dirigentes das instituições, na dinamização de candidaturas, acompanhamento de projectos e na criação de mais centros de noite para idosos nos lugares mais despovoados.
Para Hilário Teixeira, há muito património que precisa ser rentabilizado pelas autarquias. “Temos escolas abandonadas, temos prédios devolutos que tinham condições para isso, temos sociedades recreativas e culturais que às vezes não desenvolvem actividades e podiam dar respostas capazes, quer no desenvolvimento de valências como os centros de noite ou os centros comunitários”, afirmou.

Eduardo Mourinha sai passada uma década
Depois de uma década como presidente da direcção da UDIPSS de Santarém, Eduardo Mourinha deixa as funções, apesar de querer continuar próximo do movimento associativo. O agora presidente da mesa da assembleia-geral faz um balanço muito positivo no cargo, destacando que quando foi criada a UDIPSS de Santarém, em 1993, havia 35 associados e, neste momento, conta com 186. Também realça a criação de um gabinete técnico e administrativo.
A O MIRANTE Eduardo Mourinha aproveita para lembrar que os apoios financeiros têm sido insuficientes, tanto da parte da Segurança Social, que deixou de comparticipar as instituições desde 2013, mas também por parte de muitos municípios.

Os novos órgãos sociais
Hilário Teixeira, da Associação dos Lares Ferroviários, é o novo presidente UDIPSS de Santarém. A direcção é composta ainda por Fernando Ferreira, do Centro Social Paroquial da Ereira, como vice-presidente, Teresa Costa, do Centro de Bem Estar Social da Zona Alta de Torres Novas, como secretária, José Carlos Rodrigues, Centro de Bem-Estar Social de Vale de Figueira, como tesoureiro. Para a mesa da assembleia-geral foi eleito presidente Eduardo Mourinha, do Centro Paroquial de Bem Estar Social de Salvaterra de Magos. Os secretários são Carlos Dias, do Centro de Reabilitação e Integração Torrejano, e José Valbom, do Centro Educativo e de Solidariedade Social EZN da Fonte Boa. O presidente do conselho fiscal é Humberto Lopes, da Associação Comunitária de Apoio à Terceira Idade de Mouriscas. Os vogais são Afonso Tomás, do Centro Paroquial de Bem-Estar Social de Rio Maior, e Jaime Cunha, do Centro Social Paroquial de Santa Marta.

Lares ilegais são um cancro e fazem concorrência desleal às IPSS

Mais Notícias

    A carregar...

    Capas

    Assine O MIRANTE e receba o Jornal em casa
    Clique para fazer o pedido