uma parceria com o Jornal Expresso

Edição Diária >

Edição Semanal >

Assine O Mirante e receba o jornal em casa
31 anos do jornal o Mirante
Manuel Valamatos insiste na necessidade de nova ponte sobre o Tejo na região
Mitsubishi no Tramagal esteve seis semanas encerrada mas já voltou à laboração

Manuel Valamatos insiste na necessidade de nova ponte sobre o Tejo na região

O MIRANTE acompanhou a visita do secretário de Estado da Internacionalização à fábrica da Mitsubishi, no Tramagal, e ouviu os recados deixados pelo presidente da câmara de Abrantes ao Governo.

Edição de 17.06.2020 | Sociedade

A necessidade de construção de uma ponte sobre o Tejo entre Abrantes e Constância voltou à baila durante a visita do secretário de Estado da Internacionalização, Eurico Brilhante Dias, à fábrica da Mitsubishi, no Tramagal, na quinta-feira, 4 de Junho. O presidente da Câmara de Abrantes, Manuel Valamatos, insistiu na necessidade de concretização desse projecto reivindicado há muitos anos por autarcas e agentes económicos da região.
Apesar de ouvir atentamente os anseios do autarca, que são partilhados pelo presidente da Mitsubishi Fuso, Jorge Rosa, o governante não deixou promessas concretas, referindo apenas que depois da pandemia podem chegar tempos de oportunidades. “Seguramente que as acessibilidades vão estar no centro das nossas preocupações”, referiu Eurico Brilhante Dias.
Em Fevereiro deste ano a Assembleia Municipal de Abrantes aprovou a moção “Pela construção do IC9 – Troço Abrantes Ponte Sôr e da nova ponte” que foi enviada ao ministro do Planeamento e das Infraestruturas, da Economia e aos grupos parlamentares com assento na Assembleia da República. Questionado por O MIRANTE sobre essa posição, Eurico Brilhante Dias disse ter conhecimento que a moção chegou aos destinatários e admitiu que esse é um projecto que gostaria de ver concretizado.

Mitsubishi já regressou à normalidade
Eurico Brilhante Dias visitou ainda a fábrica da Renova, em Torres Novas, e a Filstone, em Fátima, no âmbito da iniciativa Portugal Open for Business. No caso da Mitsubishi, a maior empresa exportadora do distrito de Santarém, a incerteza de como vai reagir o mercado estrangeiro no segundo semestre do ano é a “grande incógnita para a qual ninguém consegue ter resposta”, referiu o presidente da Mitsubishi Fuso, Jorge Rosa.
A empresa esteve seis semanas encerrada, quatro delas em lay-off a 100%. Neste momento os cerca de 400 trabalhadores regressaram já à normalidade laboral. Apenas alguns continuam em casa a tomar conta dos filhos menores.
Jorge Rosa recordou durante a visita que o ano de 2019 foi “muito bom” e 2020 perspectivava-se igual, mas o surgimento da pandemia introduziu novos dados. A fábrica está a produzir “normalmente” com base em encomendas feitas antes da pandemia. “O que estamos a produzir não reflecte aquilo que está a ser vendido”, enquadrou Jorge Rosa ao secretário de Estado durante a visita guiada à empresa.

À margem

Relações da Mitsubishi com EUA terminam antes de começar

O projecto da Mitsubishi Fuso com os Estados Unidos da América (EUA) para a exportação de camiões eléctricos caiu por terra e deixou de ser um mercado a explorar pela fábrica do Tramagal. “Sabíamos de antemão que este projecto teria os dias contados. É um projecto com o qual não contamos mais”, avançou Jorge Rosa. Europa, Marrocos e Turquia são agora os principais mercados importadores dos veículos automóveis fabricados no Tramagal. O veículo eléctrico continua na linha da frente das prioridades ao nível do desenvolvimento. No entanto não é ainda um produto de volume. “Estaremos no momento certo a lançá-lo”, referiu o administrador da Mitsubishi Fuso.

Turismo no interior pode crescer mais depressa

O secretário de Estado da Internacionalização acredita que as regiões do interior do país poderão beneficiar de uma discriminação positiva no que respeita ao sector do turismo. O facto de terem menos população e, consequentemente, menor número de casos de Covid-19 pode servir de factor atractivo. Questionado por O MIRANTE, o governante acredita que poderá verificar-se um crescimento mais rápido neste sector, nestas regiões. “Pode haver por parte dos turistas uma maior confiança”.

Manuel Valamatos insiste na necessidade de nova ponte sobre o Tejo na região

Mais Notícias

    A carregar...

    Capas

    Assine O MIRANTE e receba o Jornal em casa
    Clique para fazer o pedido