uma parceria com o Jornal Expresso

Edição Diária >

Edição Semanal >

Assine O Mirante e receba o jornal em casa
31 anos do jornal o Mirante
Reclamações impedem obras na Igreja de São João do Alporão
Torre das Cabaças e Igreja do Alporão, dois monumentos de Santarém a necessitar de cuidados

Reclamações impedem obras na Igreja de São João do Alporão

Uma das empresas que concorreu à empreitada voltou a contestar judicialmente a adjudicação das obras pela Câmara de Santarém. Monumento nacional está fechado há oito anos.

Edição de 17.06.2020 | Sociedade

A empresa que impugnou a adjudicação das obras de conservação e beneficiação na Igreja de S. João do Alporão, em Santarém, não se conformou com a decisão do Tribunal Administrativo de Leiria, que lhe foi desfavorável, e apresentou reclamação noutro tribunal. A empreitada já tinha sido adjudicada pela Câmara de Santarém, em Outubro de 2019, à empresa Revivis – Reabilitação, Restauro e Construção Lda., pelo valor de 777.924 euros, mas devido a essas reclamações a intervenção ainda não começou.
A informação foi dada pelo presidente da Câmara de Santarém, Ricardo Gonçalves (PSD), numa das últimas reuniões do executivo. A empresa reclamante alega que um dos técnicos da empresa a quem foi adjudicada a obra não tem habilitações suficientes para realizar os trabalhos de restauro previstos. Apenas duas empresas concorreram ao concurso. “A empresa reclamou para outro tribunal devido a motivos que nos são alheios”, explicou o autarca.

Torre das Cabaças também precisa de cuidados
Ricardo Gonçalves abordou o assunto após ser questionado pela vereadora Virgínia Esteves (PS) sobre o estado de degradação da Torre das Cabaças, monumento que fica nas proximidades da Igreja do Alporão. A emblemática torre, onde está instalado o Núcleo Museológico do Tempo, só visitável por marcação, foi vandalizada com grafitis e toda a estrutura está a necessitar de pintura e outras intervenções.
O presidente da câmara prometeu que os grafitis serão removidos oportunamente, mas quanto a obras de fundo na Torre das Cabaças só devem ser efectuadas depois das empreitadas de requalificação da Avenida 5 de Outubro (que dá acesso às Portas-do-Sol) e da Igreja do Alporão, previstas para breve.

Igreja do Alporão fechada desde 2012
As obras de conservação e beneficiação da Igreja de S. João do Alporão, monumento nacional localizado no centro histórico da cidade, tinham um prazo de execução de 270 dias. O projecto teve de obter parecer favorável da DGPC – Direcção Geral do Património Cultural - antes de ser lançado a concurso.
A igreja, que funcionava como espaço museológico, está encerrada desde 2012 por razões de segurança devido ao desprendimento de pedras. A intervenção será dirigida para a estrutura, cobertura e drenagem do edifício, de forma a combater as infiltrações, mas não vai solucionar o problema das pedras, pois, aparentemente, não há solução para esse problema. Será colocada uma rede, como medida paliativa para prevenir o desprendimento de pedras e permitir a reabertura e visitação do espaço. A intervenção será feita em articulação com a Direcção Geral do Património Cultural.

Reclamações impedem obras na Igreja de São João do Alporão

Mais Notícias

    A carregar...

    Capas

    Assine O MIRANTE e receba o Jornal em casa
    Clique para fazer o pedido