uma parceria com o Jornal Expresso

Edição Diária >

Edição Semanal >

Assine O Mirante e receba o jornal em casa
31 anos do jornal o Mirante
Autarcas de Alpiarça adormecidos pela pandemia
Assembleia Municipal de Alpiarça reuniu pela primeira vez em tempo de pandemia no auditório da Casa dos Patudos

Autarcas de Alpiarça adormecidos pela pandemia

Contas do município passaram pela assembleia municipal como cão por vinha vindimada e sem votos contra. Longe vão os tempos em que as sessões eram uma arena de luta política feroz.

Edição de 05.08.2020 | Sociedade

A Assembleia Municipal de Alpiarça reuniu pela primeira vez em tempo de pandemia, na sexta-feira, 26 de Junho, no auditório da Casa dos Patudos, numa sessão que decorreu em tom morno e quase sem debate político. Longe vão os tempos em que as sessões decorriam num ambiente de acesa guerrilha verbal entre as várias bancadas. Desta vez, as contas do município referentes a 2019 passaram sem grandes reparos e sem votos contra, num serão de letargia.
O comunista João Osório substituiu Fernando Louro como presidente da assembleia, por motivos de doença deste, e não teve grandes problemas na condução dos trabalhos. A Câmara de Alpiarça terminou o ano de 2019 com um resultado líquido positivo de cerca de 133 mil euros, um resultado que para o executivo comunista reflecte a “boa gestão” e o “equilíbrio” com que se tratam os dinheiros públicos.
O deputado socialista, Joaquim Rosa do Céu, que já foi presidente da câmara, foi o único a questionar o executivo sobre o item da dívida de terceiros à câmara municipal. A câmara tem cerca de um milhão de euros para receber, sendo a maior devedora a Agroalpiarça, com uma dívida que ronda os 194 mil euros há “dezenas de anos”, explicou o vereador João Pedro Arraiolos.
O relatório de contas foi aprovado por maioria com seis abstenções – 5 do PS e 1 da coligação Muda Alpiarça (PSD/CDS/MPT) - e 8 votos a favor da CDU. Do documento apresentado foi ainda sublinhada a redução da dívida municipal em sete milhões de euros, que tem vindo a ser sucessiva desde 2010. “Neste momento estamos dois milhões e 700 mil euros abaixo do nível de endividamento permitido, temos uma folga orçamental e por esse motivo foi levantado o estado de saneamento financeiro, podendo agora candidatarmo-nos a apoios financeiros europeus”, enquadrou ainda o vereador comunista.
Os deputados foram também parcos nas questões colocadas ao executivo no Período Antes da Ordem do Dia (PAOD). Da reunião saiu a informação oficial, de que aliás já se estava à espera, da não realização da Alpiagra e do Festival do Melão. Outro dos temas abordados foi a abertura das piscinas municipais descobertas ainda sem data oficial.

Autarcas de Alpiarça adormecidos pela pandemia

Mais Notícias

    A carregar...

    Capas

    Assine O MIRANTE e receba o Jornal em casa
    Clique para fazer o pedido