uma parceria com o Jornal Expresso

Edição Diária >

Edição Semanal >

Assine O Mirante e receba o jornal em casa
31 anos do jornal o Mirante

Poluição no Alviela voltou à agenda política em Santarém 

Maus cheiros e água suja continuam a afectar episodicamente as zonas de Pernes e Vaqueiros, segundo denunciou um eleito que lançou suspeitas sobre uma exploração pecuária. Assembleia municipal aprovou moção a pedir soluções e mais fiscalização.

Edição de 02.11.2020 | Política

“A água do rio Alviela continua a correr demasiado suja e mal perfumada no território do concelho de Santarém”. A denúncia foi feita na última sessão da Assembleia Municipal de Santarém pelo eleito do Bloco de Esquerda Vítor Franco, que entretanto colocou também uma série de questões por escrito ao executivo camarário sobre um assunto recorrente no debate político há décadas.
Vítor Franco diz que o “perfume nauseabundo” que por vezes se faz sentir nas povoações de Vaqueiros e de Pernes, sobretudo à noite, perturba de forma considerável a saúde e a qualidade de vida das pessoas que ali moram. “Diversos relatos de populares referem o despejo de enormes quantidades de urina animal para o rio”, conta o autarca, referindo que as suspeitas recaem sobre uma agropecuária instalada perto de Pernes e demasiado próximo do rio Alviela.
Sobre essa exploração em concreto, o eleito do Bloco de Esquerda perguntou se a Câmara de Santarém tem conhecimento da ampliação das instalações, se sabe quem é o actual dono dessa agropecuária e se deu algum parecer positivo ou negativo para a licença de ampliação tendo como suporte algum estudo de impacto ambiental. Questionou ainda se a autarquia sabe qual a quantidade de animais – porcos e vacas - ali autorizados para a instalação actual e se são efectuadas acções de inspeção para verificar se as normas ambientais estão a ser cumpridas.
Também a bancada da CDU, numa moção apresentada na mesma sessão, aludiu a novos episódios de poluição e referiu que “continuam a ser construídas instalações agropecuárias ao longo do curso do rio, sendo a mais recente na zona de Anaia (Pernes)”.

Moção defende mais fiscalização
A Assembleia Municipal de Santarém aprovou uma moção apresentada pela CDU que aponta para a necessidade de um plano estratégico que resolva o problema da poluição no rio Alviela e que seja articulado entre os municípios de Santarém e Alcanena e o Governo.
No texto defende-se uma adequada fiscalização das entidades que utilizam a água do rio nas suas actividades ou para realização de descargas, bem como restrições à construção de mais equipamentos agropecuários ou industriais que constituam um factor de risco para o rio Alviela. Sugere-se ainda o investimento e a aplicação de novos métodos produtivos, que não coloquem em causa a qualidade da água do rio, e a necessidade de limpeza do leito e das margens. A moção foi aprovada por maioria, com abstenções do PSD e CDS.
A moção, apresentada pelo eleito Afonso Silveira, refere que “apesar dos investimentos realizados na recuperação da ETAR e dos colectores industriais de Alcanena, as águas do rio continuaram a transportar espuma e a emanar um cheiro nauseabundo”.

Mais Notícias

    A carregar...

    Capas

    Assine O MIRANTE e receba o Jornal em casa
    Clique para fazer o pedido