uma parceria com o Jornal Expresso

Edição Diária >

Edição Semanal >

Assine O Mirante e receba o jornal em casa
31 anos do jornal o Mirante
Cyberbullying aumentou entre jovens no período de confinamento
Num inquérito realizado a mais de 400 alunos 60% afirmam ter sofrido ciberbullying

Cyberbullying aumentou entre jovens no período de confinamento

O I Encontro do Dia Municipal para a Igualdade colocou em cima da mesa as temáticas do cyberbullying e da violência sexual.

Edição de 02.12.2020 | Sociedade

Os casos de cyberbullying aumentaram, entre as crianças e jovens, durante o período de confinamento causado pela pandemia de Covid-19, em que as aulas eram dadas através das plataformas online. Os casos têm chegado ao Gabinete de Apoio à Vítima (GAV) de Santarém, segundo apontou a psicóloga Daniela Martinho, durante o I Encontro do Dia Municipal para a Igualdade, que decorreu através da plataforma zoom, na terça-feira, 27 de Outubro. A organização pertenceu à Câmara de Santarém e à Escola Superior de Educação de Santarém (ESES).
Segundo a psicóloga, num inquérito realizado a 435 alunos portugueses, 60% dizem ter sido vítimas de cyberbullying. Por outro lado, o mesmo estudo aponta que os agressores não apresentaram qualquer sentimento de culpa pelos actos que praticaram. “Estamos a seguir um caso no gabinete em Santarém de uma criança que deixou de assistir às aulas online, durante o confinamento, porque era diariamente alvo deste tipo de bullying. Faziam desenhos na cara dela. Teve que ficar privada de usar estas tecnologias”, exemplificou Daniela Martinho.
A psicóloga chama a atenção para alguns sinais nas crianças, para os quais os pais e professores devem estar alerta. A existência de lesões físicas, danos nos objectos escolares, a recusa em ir para a escola, fingir estar doente, baixa das notas e isolamento social podem ser indicadores de que a criança é vítima de bullying.
Além do bullying e do cyberbullying foi também abordado o tema da violência sexual, pelo psicólogo do GAV de Santarém, Gustavo Duarte. O técnico alertou os cerca de 55 participantes na sessão para o facto de uma violência sexual não ser exclusivamente uma violação. “Há outros comportamentos que podem ser considerados como uma violência à integridade, como por exemplo um toque ou um beijo forçado. E isto são situações que têm aumentado entre os adolescentes, principalmente em ambientes nocturnos depois de algum consumo de álcool”, enquadrou.
No entanto, estudos apontam para que mais de 50% dos casos de violência sexual continuem a ocorrer em ambiente familiar ou entre pessoas próximas da vítima. A necessidade em dar apoio à vítima foi sublinhada pelo psicólogo de modo a não deixar que a vítima entre numa fase de culpabilização e negação dos acontecimentos.

Santarém recebe “Prémio Viver em Igualdade 2020”

A Câmara de Santarém, recebeu no dia 23 de Outubro, uma Menção Honrosa, no âmbito do Prémio “Viver em Igualdade”, que distingue o município, pela segunda vez, como um município alinhado com a Estratégia Nacional para a Igualdade e a Não Discriminação (ENIND) – Portugal + Igual.
Esta é uma iniciativa bienal, que tem como objectivo distinguir municípios com práticas, a nível interno e no âmbito do território, que promovam a apropriação local dos objectivos da Estratégia Nacional para a Igualdade e a Não Discriminação 2018-2030 – Portugal + Igual, nas dimensões da igualdade entre homens e mulheres, da prevenção e combate à violência contra as mulheres, da violência doméstica e da prevenção e combate à discriminação em razão da orientação sexual, identidade e expressão de género e características sexuais.

Cyberbullying aumentou entre jovens no período de confinamento

Mais Notícias

    A carregar...

    Capas

    Assine O MIRANTE e receba o Jornal em casa
    Clique para fazer o pedido