uma parceria com o Jornal Expresso

Edição Diária >

Edição Semanal >

Assine O Mirante e receba o jornal em casa
31 anos do jornal o Mirante
Estação na Vala do Carregado vai ser pouso para turistas
Estação de Carregado - Alenquer é um elefante branco que agora vai ser transformado num negócio

Estação na Vala do Carregado vai ser pouso para turistas

Estação icónica da história ferroviária nacional esteve durante décadas ao abandono pela entidade que a deveria dinamizar. Agora vai passar a ser um hostel com 16 camas mas nem toda a gente vê o projecto com bons olhos.

Edição de 02.12.2020 | Sociedade

Num dos cafés da Vala do Carregado já não se fala de outra coisa: a adaptação da icónica estação de comboios em hostel com 16 camas para albergar turistas. E não há meios termos nas opiniões: ou se é a favor ou contra.
Desactivada há largas décadas, abandonada e desaproveitada, a estação vai agora renascer como unidade de alojamento local, em formato hostel, com 16 camas, dez delas em camaratas. Representa um investimento, na primeira fase, a rondar os 30 mil euros. À frente do projecto está uma professora do Carregado que ali apanhava o comboio todos os dias e que acredita no potencial da estação, que fica em pleno caminho de Santiago, onde passam anualmente milhares de peregrinos.
A Infraestruturas de Portugal (IP), entidade dona do imóvel que pouco ou nada fez nas últimas décadas para o recuperar e dinamizar, abraçou a ideia e o processo já leva dois anos em desenvolvimento. Além das camas está prometido para o espaço um mini-museu alusivo à história dos comboios naquela estação, visitável na antiga sala de espera da estação. A concessão do imóvel a privados vai durar 15 anos.
“Não acrescenta nada à terra”, diz a O MIRANTE Augusto Dores, morador da localidade. Refere que o espaço nunca foi aproveitado como deveria e que a sua história e importância na ferrovia nacional sempre foi ignorada. “Aquela estação deveria estar aberta e a servir como estação. Não é ter agora um hotel lá dentro, não faz sentido”, critica.
Opinião diferente tem Elisabete Rodrigues. Vive na Vala do Carregado desde pequena e acredita que pode ser uma oportunidade de melhorar um edifício que nunca serviu para nada. “Entre estar abandonado ou com utilização mais vale ter algum uso”, afirma. Espera que traga turistas e que estes possam “deixar algum dinheiro” no comércio da aldeia. “Somos uma terra de passagem. O local mais movimentado é o parque de estacionamento da estação”, lamenta.
A aventura do comboio em Portugal – que colocou a Vala do Carregado na história - começou em 1856, quase 30 anos depois do Reino Unido já ter este sistema de transporte. A viagem inaugural, ainda no reinado de Pedro V, fez-se entre Lisboa e a Vala do Carregado, numa locomotiva em segunda mão comprada aos britânicos.
Na década de 1930, Cottinelli Telmo desenhou a estação da Vala do Carregado que hoje existe. Em 2006 chegou a ser equacionada a sua demolição para ser construído um terminal rodoviário. População e autarcas uniram-se em protestos e o plano foi abortado. Mas o abandono do espaço continuou. O único símbolo existente no local alusivo à história da estação é um pequeno monumento, mal cuidado e ferrugento, que dá nota da efeméride.

Estação na Vala do Carregado vai ser pouso para turistas

Mais Notícias

    A carregar...

    Capas

    Assine O MIRANTE e receba o Jornal em casa
    Clique para fazer o pedido