uma parceria com o Jornal Expresso

Edição Diária >

Edição Semanal >

Assine O Mirante e receba o jornal em casa
31 anos do jornal o Mirante
Santarém pede ajuda para não perder projectos estruturantes
Ricardo Gonçalves

Santarém pede ajuda para não perder projectos estruturantes

Autarcas querem que a modernização da Linha do Norte seja incluída no Plano Nacional de Investimentos 2030 anunciado pelo Governo.

Edição de 02.12.2020 | Política

O executivo municipal de Santarém desafiou os deputados eleitos pelo distrito de Santarém a apresentarem um projecto de resolução na Assembleia da República que defenda e recomende ao Governo a inclusão do projecto de modernização da Linha do Norte entre Vale de Santarém e Entroncamento no Plano Nacional de Investimentos (PNI) 2030.
Os autarcas da Câmara de Santarém e o presidente da assembleia municipal reuniram no dia 3 de Novembro com os nove deputados do distrito para demonstrarem o seu “desagrado e estupefacção” pela não inclusão no PNI 2030 de vários projectos considerados estruturantes para o concelho e para a região.
Na sua página no Facebook, o presidente da câmara, Ricardo Gonçalves (PSD), considera grave que a modernização da linha ferroviária entre Vale de Santarém e Entroncamento, que previa a construção de uma variante a Santarém, tenha desaparecido nesta segunda versão do PNI 2030.
“Era o único projecto que contemplava a área da Comunidade Intermunicipal da Lezíria do Tejo (CIMLT) e que agora desapareceu, mesmo todos nós sabendo que é a única ferrovia de escoamento para todo o interior”, afirma o autarca.
Ricardo Gonçalves acrescenta que mesmo avançando o projecto de linha de alta velocidade de Lisboa para o Porto, prevista no PNI 2030, essa obra vai demorar pelo menos uma década até estar concluída, e a Linha do Norte continuará em funcionamento. “Este facto, torna ainda mais premente a necessidade de investimento nesta via; a segurança terá que ser reforçada por via de obras urgentes, devido ao perigo iminente motivado pela instabilidade das barreiras de Santarém, pelo facto de esta linha ter um elevado nível de ocupação da infraestrutura (nível laranja) e pelas mortes que infelizmente aqui acontecem todos os anos”, reforça.
Outros projectos enumerados que os autarcas gostavam de ver incluídos no Plano Nacional de Investimentos 2030 são mais verbas para o plano de estabilização das encostas de Santarém, uma nova saída da A1 no norte do concelho, a variante da EN3 ao Vale de Santarém, correcção ao traçado da EN362 para Alcanede e conclusão do IC10.

Santarém pede ajuda para não perder projectos estruturantes

Mais Notícias

    A carregar...

    Capas

    Assine O MIRANTE e receba o Jornal em casa
    Clique para fazer o pedido