uma parceria com o Jornal Expresso

Edição Diária >

Edição Semanal >

Assine O Mirante e receba o jornal em casa
31 anos do jornal o Mirante
Mais uma tentativa para acabar obras de saneamento em Covão do Coelho e Vale Alto
Abril de 2021 é agora o novo prazo apontado para conclusão das obras de saneamento

Mais uma tentativa para acabar obras de saneamento em Covão do Coelho e Vale Alto

Oposição na Câmara de Alcanena defende penalização da firma a quem foi adjudicada a empreitada, por incumprimento contratual. Obra devia estar concluída há quase um ano e a população desespera com as ruas esburacadas, o pó e a lama.

Edição de 02.12.2020 | Sociedade

A oposição PSD/CDS/MPT na Câmara de Alcanena defende a penalização da empresa a quem foi adjudicada a empreitada de instalação da rede de saneamento básico nas aldeias de Covão do Coelho e Vale Alto, por incumprimento das suas obrigações contratuais. Uma possibilidade que a presidente da câmara, Fernanda Asseiceira (PS), não descarta, mas apenas quando os trabalhos ficarem concluídos. Para já, adiantou a autarca, a prioridade é acabar o que falta.
A empreitada está bastante atrasada e tem sofrido várias paragens devido a desentendimentos entre a empresa a quem foi adjudicada, a Toelta (com sede em Paço de Arcos), e o sub-empreiteiro que tem estado no terreno, a Dreamfields (com sede em Minde). A obra devia ter ficado concluída no início de 2020, mas só metade está executada, havendo pelo menos mais seis meses de trabalhos pela frente. As populações das duas aldeias queixam-se dos transtornos causados por arruamentos esventrados, lama e pó, como O MIRANTE deu conta em reportagem publicada na edição de 5 de Novembro de 2020.
Na última reunião do executivo da Câmara de Alcanena foi aprovada pela maioria PS a prorrogação graciosa do prazo para a conclusão da empreitada em 181 dias, bem como a autorização da subcontratação da obra à Dreamfields - firma que já tinha estado no terreno antes da última paragem das obras, que recomeçaram na passada semana. Os dois vereadores da oposição votaram contra.
A vereadora da coligação PSD/CDS/MPT, Maria João Rodolfo, considera que a empresa Toelta, a quem foi adjudicada a empreitada, devia ser sancionada pelo atraso nas obras e manifestou algum cepticismo que o novo prazo seja cumprido. O seu colega de bancada, João Correia Pinto, reforçou a desconfiança dizendo que até agora não houve um prazo cumprido - “e sem nenhuma penalização” -, defendendo uma posição mais dura por parte da autarquia. “Vamos ter fé que Nossa Senhora permita que a obra se faça em 181 dias, senão cá estaremos em Abril outra vez para prorrogar o prazo”, enfatizou.
A presidente do município não gostou muito do que ouviu por parte da oposição, embora tenha reconhecido que a empreitada tem corrido mal. E deixou a porta aberta à aplicação de sanções quando o processo estiver concluído. “O nosso maior interesse não é penalizar empresas, é que as obras se concluam”, disse Fernanda Asseiceira, acreditando que o acordo agora estabelecido entre empreiteiro e sub-empreiteiro vai garantir a conclusão da obra sem mais percalços.

Câmara não paga
nem mais um cêntimo
Fernanda Asseiceira garantiu anda que a Câmara de Alcanena não vai pagar mais do que o valor contratado aquando da adjudicação da obra. A empreitada de execução das redes de saneamento de águas residuais do Covão do Coelho e Vale Alto foi adjudicada à empresa Toelta – Gestão de Investimentos e Concessões, pelo valor de 2.068.563 de euros mais IVA. A subempreitada foi entregue à empresa Dreamfields Lda. Os trabalhos começaram no início de 2019 e o prazo de execução era de 365 dias.

Mais uma tentativa para acabar obras de saneamento em Covão do Coelho e Vale Alto

Mais Notícias

    A carregar...

    Capas

    Assine O MIRANTE e receba o Jornal em casa
    Clique para fazer o pedido