Política | 10-09-2017 13:00

Ninguém sabe o que aconteceu à queixa sobre pavilhões da vereadora de Ourém

Ninguém sabe o que aconteceu à queixa sobre pavilhões da vereadora de Ourém
Lucília Vieira

Processo foi entregue há dois anos no Ministério Público mas nada aconteceu até agora

A vereadora do PS na Câmara de Ourém, Lucília Vieira, garante que não foi notificada, nem chamada a prestar declarações, por causa de alegadas irregularidades no licenciamento dos seus pavilhões. Os vereadores da Coligação Ourém Sempre (PSD/CDS-PP), que apresentaram queixa no Ministério Público, dizem que também não sabem nada sobre o andamento dado ao caso. Contactado por O MIRANTE, o vereador daquela coligação, Luís Albuquerque, confirma que não houve qualquer resposta do Ministério Público sobre aquele assunto.


Para Lucília Vieira a denúncia feita contra si é um não assunto e por isso não estranha a situação. “Eu nunca iria fazer nada que não estivesse dentro da legalidade. Nunca fui notificada nem chamada a prestar declarações porque este sempre foi um caso sem pernas para andar. Quando não sabem o que fazer inventam e foi o que aconteceu neste caso”, afirma. Em causa está o facto de Lucília Vieira ter tratado do licenciamento para a construção de nove pavilhões numa exploração de coelhos, de que é proprietária, ficando convicta que estava tudo bem até descobrir que os serviços da autarquia tinham emitido alvará apenas para um pavilhão, apesar de todos os projectos dos pavilhões terem sido aprovados.

Notícia completa na edição semanal O MIRANTE AQUI

Mais Notícias

    A carregar...

    Edição Semanal

    Edição nº 1325
    15-11-2017
    Capa Médio Tejo
    Edição nº 1325
    15-11-2017
    Capa Vale Tejo