uma parceria com o Jornal Expresso

Edição Diária >

Edição Semanal >

Assine O Mirante e receba o jornal em casa
30 anos do jornal o Mirante
Muitas críticas na Gala de Mérito de Alhandra, S. João dos Montes e Calhandriz

Muitas críticas na Gala de Mérito de Alhandra, S. João dos Montes e Calhandriz

A fusão de freguesias e o encerramento de escolas e piscinas foram objecto de palavras de desagrado na altura dos discursos.

Edição de 17.11.2016 | Sociedade

Amílcar Fernando Lopes arrancou a maior salva de palmas na gala de Galardões de Mérito da União de Freguesias de Alhandra, Calhandriz e São João dos Montes, que decorreu na sexta-feira, 11 de Novembro, quando recebeu o galardão de Mérito Cultural. As palmas não resultaram só da atribuição do prémio ou dos agradecimentos, mas também pelas críticas que o dirigente do Clube Desportivo Recreativo e Cultural da Calhandriz deixou à fusão de freguesias e ao encerramento da escola primária e das piscinas da Calhandriz.
“Mentiria se dissesse que estou plenamente satisfeito. Não estou inteiramente satisfeito porque uma série de ‘Mouzinhos da Silveira’ do século XXI saíram à rua e decidiram dirigir e escrever aquilo que considero ser a pior reforma administrativa de sempre. Retiraram à Calhandriz aquilo que nem o próprio Mouzinho se atreveu a fazer. Gostaria de vos dizer que não estou plenamente satisfeito, porque a Carta Educativa (2006) retirou parte da identidade do povo da Calhandriz quando decidiu encerrar a escola primária. (…) Hoje vemos as nossas crianças irem para as piscinas em carrinhas, não sei se alugadas se por conta própria. E por falar em piscinas mentiria se dissesse que estou satisfeito quando vejo a piscina municipal da Calhandriz fechada, uma obra da Valorsul para pagar o ‘smell’ (cheiro) que gramamos todos os dias”, afirmou Amílcar Lopes.
O presidente da Junta de Alhandra, Calhandriz e S. João dos Montes, Mário Cantiga (CDU), reforçou as palavras de Amílcar Lopes. “Acho que esta questão da agregação das freguesias não é aceitável de forma alguma”, disse o autarca, acrescentando: “Uma das maiores bandeiras do poder local é a proximidade com a comunidade e essa característica está fragilizada pois num executivo com cinco elementos onde só é possível haver uma ou duas pessoas a tempo inteiro, é impossível estar em três freguesias com a dimensão que a nossa tem”.
O presidente da junta disse também não saber porque fechou a piscina da Calhandriz. “Se foi por falta de adesão, então devia ter sido feito um estudo e aí perceberiam que os utentes nunca seriam muitos pois aquela freguesia tem poucos habitantes e é muito envelhecida. Era muito mais viável em vez de cada freguesia ter uma piscina ou um polidesportivo, criar equipamentos que estejam ao dispor de mais do que uma freguesia”, afirmou.

Uma dezena de homenageados
Além de Amílcar Lopes foram homenageadas outras nove pessoas. No desporto, Bruno Bértolo (Campeão nacional de windsurf em 2004 e 12 vezes campeão nacional em Slalom), Melanie dos Santos, (atleta de triatlo do Alhandra SC) e Tatiana Graça (Ouro em equitação adaptada no Special Olympics World Games de 2015, EUA) foram agraciados.
O Galardão Empresarial foi entregue ao colégio O CO.CAS, em Alhandra. Na categoria da cultura juntam-se a Amílcar Lopes, a poeta Antónia Maria Balsinha, o actor, dramaturgo e encenador João Santos Lopes e também Jorge Zacarias, presidente da Sociedade Euterpe Alhandrense.
A homenagem por mérito social foi atribuída a Jerónimo Caetano, comandante dos Bombeiros Voluntários de Alhandra. Quanto à distinção autárquica, foi para Augusto Sacadura, ex-tesoureiro da Junta de Alhandra, e para Daniel Branco, presidente da Câmara de Vila Franca de Xira entre 1980 e 1997.

Muitas críticas na Gala de Mérito de Alhandra, S. João dos Montes e Calhandriz

Comentários

Mais Notícias

    A carregar...