uma parceria com o Jornal Expresso
29/05/2017
Assine O Mirante e receba o jornal em casa
30 anos do jornal o Mirante
“As reguadas são uma pedra no meu sapato”
Isabel Seabra foi professora primária durante muitos anos e considera que é pela amizade e pelo respeito que se mantém a disciplina na sala de aulas. Uma breve conversa durante um encontro de antigos alunos em Aveiras de Baixo.
Edição de 18.05.2017 | Sociedade

Alegria, sorrisos, recordações e muita emoção. São os sentimentos que a professora aposentada Isabel Seabra esboça no rosto de cada vez que se lembra dos momentos passados com os seus “queridos alunos”, que nunca vai esquecer. Deu aulas em vários pontos da região como Aveiras de Baixo (Azambuja), Pontével (Cartaxo) ou Fonte da Bica (Rio Maior), onde teve como aluna a actual presidente desse município, Isaura Morais (ver caixa).
“Lembro-me bastante dos meus alunos, especialmente dos mais reguilas que foram os que me marcaram mais”, conta a professora, acrescentando que nunca teve nenhum aluno nem encarregado de educação que lhe faltasse ao respeito “como nos tempos de agora”. “Eram reguilas, mas educados”, afirma.
Quanto às reguadas, chegou a dar algumas nos seus primeiros anos como professora, mas hoje arrepende-se amargamente. “São uma pedra no meu sapato”, confessa, considerando que “é pela amizade e pelo respeito que se mantém a disciplina na turma e não pelos castigos”.
Naquela altura, depois do 25 de Abril de 1974, Isabel Seabra conta que “as diferenças entre escolas eram abismais”. Na escola de Aveiras de Baixo “não havia nada, apenas nos cingíamos aos livros, mas quando fui para Pontével tínhamos uma escola diferente. Também recebíamos muitos subsídios”. “Foi a primeira escola no concelho a ter uma fotocopiadora”, revela.
Durante o tempo que leccionou foram muitos os acontecimentos que a marcaram. Como as idas a Azambuja em que ia receber o seu ordenado e levava sempre o seu carro cheio de crianças ou a oferta por cada um dos pais de um babygrow quando a sua filha nasceu.
Isabel Seabra não tem dúvidas que o ensino nos tempos que correm “está cada vez pior, não há incentivos, falta a colaboração e a compreensão dos pais pela escola”, o que não acontecia na altura em que leccionava em que os pais colaboravam bastante com a escola.
Isabel Seabra, 63 anos e natural de Pontével, onde reside, estudou na Escola Marcelino Mesquita no Cartaxo e depois tirou o magistério primário em Santarém. Terminou o curso em 1973 e foi colocada, aos 21 anos, na escola da Fonte da Bica, em Rio Maior, em Outubro de 1973. Entretanto concorreu como professora efectiva e ficou em Aveiras de Baixo entre 1974 e 1979. Posteriormente, em Casais Lagartos e em Pontével. Aposentou-se em 2011.

“Isaura Morais era muito sossegada”

Da antiga escola primária da Fonte da Bica, em Rio Maior, um dos alunos que Isabel Seabra tem mais lembranças é a presidente da Câmara de Rio Maior, Isaura Morais. A professora aposentada conta que a presidente do município, que frequentava o 2.º ano, era muito sossegada. “Acho até que ela nunca apanhou reguadas, era uma querida”, conclui.

Comentários
Mais Notícias
    A carregar...