uma parceria com o Jornal Expresso

Edição Diária >

Edição Semanal >

Assine O Mirante e receba o jornal em casa
30 anos do jornal o Mirante
Conversa de bosta
Foto O MIRANTE

Conversa de bosta

Na última sessão da Assembleia Municipal de Santarém assistiu-se a um autêntico diálogo de porcaria (para não derraparmos para o vernáculo) entre a eleita do CDS Patrícia Fonseca e o eleito José Magalhães, do movimento Mais Santarém (que integrou a lista do PS). Discutia-se uma proposta de declaração de interesse público de uma exploração de gado bovino, na freguesia de São Vicente do Paul, para efeito de legalização de obras feitas nessa pecuária, quando José Magalhães decidiu levantar o problema da bosta produzida pelo gado bovino e suíno, lembrando que há estudos que dizem que a bosta é má para o ambiente, originando poluição, não só pelos gases e cheiros, como também pelo facto de se “entranhar” no solo e afectar as linhas de água. A deputada do CDS, Patrícia Fonseca, professora na Escola Agrária de Santarém, não gostou dessas afirmações e arvorando-se em advogada da bosta animal respondeu que as conclusões de tais estudos não se referem a Portugal, onde não há criação de gado intensiva, e que na verdade a bosta é uma coisa boa, pois aduba os solos e não prejudica o ambiente. O assunto foi tão exaustivamente explorado que até se falou sobre qual seria a bosta mais prejudicial para o ambiente, se a de porco se a de vaca, num autêntico debate de bosta como não há memória naquele fórum.

Edição de 18.01.2018 | Cartoon da noticia
Conversa de bosta

Comentários

Mais Notícias

    A carregar...