uma parceria com o Jornal Expresso

Edição Diária >

Edição Semanal >

Assine O Mirante e receba o jornal em casa
30 anos do jornal o Mirante

Funcionário da Câmara de Salvaterra de Magos suspeito de furtar carteira

Caso aconteceu numa loja de venda de produtos para a agricultura e soma-se a outras situações caricatas recentes envolvendo trabalhadores da autarquia.

Edição de 12.04.2018 | Sociedade

Um funcionário da Câmara de Salvaterra de Magos é suspeito de ter furtado uma carteira numa loja de venda de produtos para a agricultura situada junto à Estrada Nacional 118 em Salvaterra de Magos.
A situação caricata ocorreu no sábado, 17 de Março, quando o funcionário municipal se deslocou a esse estabelecimento. Uma funcionária do estabelecimento e proprietária da carteira apercebeu-se do furto e chamou as autoridades. Foi apresentada queixa na GNR, entretanto retirada.
O presidente da Câmara de Salvaterra de Magos, Hélder Esménio (PS), confirma o caso e adianta que o funcionário em causa, que desempenhava funções na área do armazém e compras, foi transferido para a área do desporto enquanto estiver a decorrer o processo disciplinar.
Casos insólitos sucedem-se
Esta não foi a única ocorrência estranha envolvendo funcionários do município durante o horário de trabalho desde que se iniciou o actual mandato. Em Novembro de 2017 um funcionário da câmara, alegadamente, chamou “vaca” à vereadora da oposição e ex-presidente, Ana Cristina Ribeiro (BE), quando esta se deslocou à autarquia para consultar processos. O assunto foi denunciado em reunião de câmara pelo vereador Luís Gomes (BE). Na altura, o presidente da câmara disse que não iria tomar medidas no imediato em relação ao caso. A visada também não manifestou intenção de apresentar queixa formal, conforme foi aconselhada por Hélder Esménio.
Já este ano, em Fevereiro, um trabalhador do município foi apanhado pelas autoridades a conduzir uma viatura da câmara com uma carta de condução falsa. Na altura, também o presidente da autarquia abriu um processo disciplinar ao funcionário em causa, para além do processo-crime instaurado pelas autoridades.

Comentários

Mais Notícias

    A carregar...