Sociedade | 02-09-2017 09:58

A difícil vida de Marieta que nunca teve uma profissão

A difícil vida de Marieta que nunca teve uma profissão

Aos 79 anos está a descobrir outra vida na Universidade Sénior de Benavente.

Nasceu na emblemática Rua do Grilo, em Samora Correia, a 5 de Outubro de 1937, como Mariete Cardoso Alves. Aos 21 anos, quando tirou o bilhete de identidade para poder casar, alteraram-lhe o nome para Marieta, com o qual já se acostumou.

“A primeira pensão e taberna dos meus avós não foi a da Rua do Grilo. Tiveram outra na rua que ia para o cemitério, uma coisinha pequena para a época, com a pensão numa metade e a taberna na outra. Nas traseiras viviam os meus avós, a minha mãe e a minha tia”. A mãe de Marieta, Margarida, casou muito nova e mudou-se para uma casa ao início da Rua do Grilo, onde viria a ter a filha. O negócio da pensão e taberna dos avós não se aguentou e tiveram de o fechar, o que coincidiu com a morte do pai de Marieta. “A nossa vida foi muito difícil. O meu pai morreu quando eu tinha quatro anos e a minha avó ficou a tomar conta de mim, do meu irmão, da minha mãe, da minha tia e do meu avô”.

Reportagem completa na edição semanal de O MIRANTE AQUI

Mais Notícias

    A carregar...

    Edição Semanal

    Edição nº 1363
    08-08-2018
    Capa Médio Tejo
    Edição nº 1363
    08-08-2018
    Capa Vale Tejo