Sociedade | 03-05-2018 13:09

Famílias com a corda na garganta devido a penhoras e desemprego

Famílias com a corda na garganta devido a penhoras e desemprego
Foto DR

DECO de Santarém apoia pessoas que estão em situação financeira difícil

A delegação de Santarém da DECO (Defesa do Consumidor) registou sete processos de sobre-endividamento de famílias no primeiro trimestre deste ano e 23 pedidos de informação presenciais para apoio de famílias. Execuções e penhoras são a principal causa de sobre-endividamento das famílias portuguesas, logo seguido pelo desemprego e deterioração das condições de trabalho. A incapacidade física, alteração do agregado familiar e divórcio/separação também são outros dos motivos para aumentar o sobre-endividamento das famílias.


A DECO de Santarém apoia pessoas que já estão endividadas ou que estejam em risco de ficarem endividadas. “Há pessoas que ficam desempregadas e pedem-nos ajuda por terem receio de não conseguir cumprir o pagamento das suas prestações mensais e querem acautelar a situação. No entanto, a maior parte das famílias procura-nos quando já está em incumprimento”, explica Joana Parracho, jurista da delegação de Santarém da DECO. A jurista refere que as pessoas deixam arrastar a situação porque têm vergonha de pedir ajuda.


Um dos casos que a DECO está a acompanhar é de um casal com um filho menor em que a mulher ficou desempregada e teve que se reformar por invalidez, depois de um período de baixa por doença oncológica. O casal perdeu o rendimento dela, o que complicou a gestão financeira da família. Neste momento o agregado familiar está a ter apoio da instituição para conseguir fazer face a todas as suas despesas, que com um filho são sempre mais elevadas.

Notícia completa na edição semanal de O MIRANTE AQUI

Mais Notícias

    A carregar...

    Edição Semanal

    Edição nº 1359
    11-07-2018
    Capa Vale Tejo
    Edição nº 1359
    11-07-2018
    Capa Médio Tejo