uma parceria com o Jornal Expresso

Edição Diária >

Edição Semanal >

Assine O Mirante e receba o jornal em casa
31 anos do jornal o Mirante

Hiper-cáustico Serafim das Neves

Edição de 04.01.2006 | E-mails do outro mundo
Eu também quero botar o meu nome no abaixo-assinado a favor da continuação da PSP em Torres Novas e Vila Franca de Xira. Não moro em nenhuma daquelas cidades, como sabes, mas tenho esse direito. Sou um cidadão que se pela por notícias bizarras e não acredito que alguma força de segurança consiga equiparar-se nesse campo à nossa Polícia de Segurança Pública. O esforço abnegado daqueles homens e mulheres chega a comover-me. Só mesmo eles para prenderem bandidos da pesada, trafulhas e traficantes de alto coturno, arriscando seriamente o cabedal e ainda terem tempo para resolver aqueles pequenos nadas que tanto nos divertem e tanta falta fazem a secções como o Cavaleiro Andante, O Cartoon da Notícia e até a estes nossos e-mails. Estou a escrever-te este relambório com um sorriso a esticar-me os cantos da boca em direcção às orelhas. É impossível lembrarmo-nos de tudo mas há alguns casos de antologia. Ladrões que adormecem a meio dos assaltos ou que ficam presos em gradeamentos quando tentam dar ao slaide. Traficantes que conseguem ser apanhados com menos de meia dose de uma droga qualquer. Ladrões de carros que acabam no xelindró porque se esqueceram de meter combustível. Presos que conseguem roubar a carteira ao juiz à porta da sala de audiências…eu sei lá que mais!!A vida de polícia é dura e perigosa mas nenhum agente pode dizer que nunca teve os seus momentos de diversão gratuita no exercício da profissão. E tudo graças a delinquentes que em vez de andarem naquelas vidas se deviam dedicar à comédia. Quem se diverte com os gags do Gato Federorento ou se atira para o chão à gargalhada com o Levanta-te e Ri, devia experimentar a leitura de alguns episódios que constam dos relatórios policiais. E o melhor de tudo é que a PSP não é avarenta. Não guarda para si o que pode melhorar a qualidade de vida de quem protege. Partilha o burlesco como Cristo partilhou o Pão e o Vinho na última ceia. Dá colorido às nossas vidas. Serafim, vais dizer-me que a GNR pode cumprir esse papel com a mesma eficiência. Não quero duvidar da generosidade da Guarda mas tens que reconhecer que a PSP tem um “know-how” ao nível da criminalidade humorística que a GNR vai ter dificuldade em atingir. Os patifes citadinos são mais descontraídos e vivaços que os das aldeias. E não é qualquer um que percebe as subtilezas do crime trapalhão. Além disso há a questão do estilo redactorial. Um agente da PSP tem outra experiência e “savoir-faire”. É como comparar o humorista das produções fictícias que escreve o discurso do boneco do Sócrates para o Contra-informação com o estilo do assessor que escreve o discurso que o verdadeiro Primeiro-Ministro vai ler ao Parlamento. É claro que nos rimos de ambos os discursos mas tens que reconhecer que rimos mais com o do da Contra-Informação. Outra coisa que me anda a preocupar é a galeria comercial estilo Centro Comercial Vasco da Gama que vão fazer na Póvoa de Santa Iria. Dizia a notícia de O MIRANTE que aquilo vai acabar com o que resta do comércio tradicional. Para mim o problema nem é tanto a questão comercial. É mais a questão social. Se calhar é melhor dar-te um exemplo. Tu lembras-te dos barbeiros da nossa infância? Lembras-te, concerteza! Eram umas horitas bem passadas para aqueles velhotes que víamos por lá. Liam o jornal, coscuvilhavam a vida alheia, folheavam revistas pornográficas, discutiam o penalti mal marcado do domingo anterior. A pouco e pouco destruíram todos os santuários da velhice. Barbeiros, tascas, mercearias. Meu Deus, como vai ser a nossa terceira idade?!! Nos Centros de Dia não podemos cuspir para o chão, nem jogar à lerpa, nem dizer carvalhadas…se calhar até nos expulsam se apalparmos o rabo a alguma empregada?!! Estamos tramados, Serafim!!! Nós e os ginjas da Póvoa, coitados!Um abraço melancólico do Manuel Serra d’Aire

Mais Notícias

    A carregar...