uma parceria com o Jornal Expresso

Edição Diária >

Edição Semanal >

Assine O Mirante e receba o jornal em casa
31 anos do jornal o Mirante

Vânia Oliveira

21 anos, estudante de enfermagem, Almeirim

Não tinha nenhum problema em fazer parte de uma equipa de futebol, mas julgo que não ia ser bem sucedida. Porque não sou muito habilidosa em futebol. Não fujo da bola mas nenhuma equipa faria contrato comigo com certeza

Edição de 20.12.2006 | Agora falo eu
O que significa o Natal?O Natal é a época da família. É altura para dizer às pessoas de quem gostamos que gostamos delas. Não são só as prendas, apesar de oferecer presentes sobretudo aos familiares e principais amigos.Até quando é que acreditou no Pai Natal?Não sei muito bem a data específica, mas talvez até aos 3 anos. Sempre acreditei mais na bondade e nas boas pessoas, porque quanto ao Pai Natal sempre fui um bocado desconfiada. Porque é que escolheu o curso de enfermagem?Pelo gosto pela área da saúde e pela relação de ajuda que se estabelece com as pessoas. É bom ficarmos com a sensação que ajudámos as pessoas a ultrapassar uma fase difícil. Como a solidão de algumas pessoas internadas que dói mais do que uma picada de agulha.Qual é o rumo da juventude?Temo mais pelo caminho para onde vai a juventude que me segue, porque a minha geração segue as pisadas das outras anteriores. Não é a juventude que me assusta é o mundo em si, a sociedade no geral.A sociedade ainda cultiva os valores da solidariedade?Acredito totalmente na solidariedade, mas acho que a tendência hoje é para pensarmos que é muito difícil ser-se solidário. Ou então que ser-se solidário é dar a moedinha aos arrumadores de carros. Felizmente ainda há algumas pessoas solidárias e outras que além de serem solidárias lutam por causas muito nobres. Um ribatejano tem que saber montar a cavalo, usar botas de cabedal e gostar de touradas?Não! Um ribatejano tem que reconhecer a história e a tradição da sua região, mas não tem que as adorar. Um bom ribatejano deve é gostar da sua terra, ter gosto em olhar para a lezíria e ter a sensação que por muitos lugares que se conheça este vai ser sempre nosso. Já foi confrontada com alguma injustiça?Todos sofremos injustiças ao longo da vida. Já fui vítima de situações que me fizeram revoltar e já presenciei outras que atingiram outras pessoas. Uma das injustiças de que já fui alvo é ser avaliada de acordo com ideias preconcebidas, ou não me ser permitido justificar determinadas atitudes. Era capaz de integrar uma equipa feminina de futebol?Não tinha nenhum problema em fazer parte de uma equipa de futebol, mas julgo que não ia ser bem sucedida. Porque não sou muito habilidosa em futebol. Não fujo da bola mas nenhuma equipa faria contrato comigo com certeza. Já joguei durante as aulas no liceu e no âmbito do desporto escolar ou na brincadeira com os amigos. Qual é o melhor divertimento?Estar com os meus amigos, ver uma boa comédia romântica. Também há livros que me fazem rir. Estar com crianças também me diverte muito. Tal como ver sorrisos francos, viajar ou sair sem um destino definido.

Mais Notícias

    A carregar...