uma parceria com o Jornal Expresso

Edição Diária >

Edição Semanal >

Assine O Mirante e receba o jornal em casa
31 anos do jornal o Mirante

O avião que explodiu sobre as Fazendas e os bombeiros que não tinham ambulância

Edição de 23.12.2006 | O Mirante dos Leitores
Aqui está, contada pelo entrevistado António Cláudio, uma das singelas e pequenas histórias que fazem a história dos Bombeiros em Portugal. Muita gente que pensa que sabe tudo, ignora, deliberadamente ou não, estes exemplos de grandeza dos bombeiros. E tudo isto tem mais razão de ser quando agora, com palavras tão bonitas quanto ocas, se começam a dar passos para nacionalizar ou municipalizar, a principal estrutura de socorro, os bombeiros, que a sociedade criou ao longo de mais cem anos, sempre com o Estado a pouco fazer e a pouco dar, mas a servir-se todos os dias dessa mesma estrutura.Estamos numa época de reformas, numa época de mudanças que ninguém duvida serem necessárias. Mas, em boa verdade, só se deve reformar o que estiver mal. Só se deve mudar o que não estiver bem. E o sector do bombeiros não foge à regra. Precisa de facto de algumas reformas mas em boa verdade o que se devia mudar no sector seria a criação de formas claras de apoio financeiro sistemático de acordo com os serviços prestados. De verdadeira reforma dos programas de formação devidamente estruturados, da tipificação dos Corpos de Bombeiros já que todos nunca poderão ter tudo e os princípios da subsidariedade e da solidariedadede devem existir sempre e devem ser fomentados. Mas também deve ser feito o acompanhamento das associações, e porque não a fiscalização próxima das suas contas, desde que lhes paguem os serviços que prestam. E o acompanhamento e identificação das suas necessidades, das suas expectativas e das suas potencialidades. Mas será que isto alguma vez será possível em companhia de instituições tão poderosas como o INEM? Tão militarizadas, portanto distantes da sociedade civil, como são os GIPS? Tão burocráticas como o mal nascido SNBPC? O ano de 2007 pode trazer muito de novo e de bom aos bombeiros como eles desejam e precisam. A ver vamos. Mas o verdadeiro e sincero reconhecimento do seu trabalho, com as consequentes contrapartidas, seria a sorte grande a que os bombeiros há muito aspiram e a que têm direito. Boas Festas a todos os Soldados da Paz.Carlos Pinheiro

Mais Notícias

    A carregar...