uma parceria com o Jornal Expresso

Edição Diária >

Edição Semanal >

Assine O Mirante e receba o jornal em casa
31 anos do jornal o Mirante
Fábrica de tomate de Benavente nas mãos de empresários portugueses

Fábrica de tomate de Benavente nas mãos de empresários portugueses

Acordo prevê a manutenção de 230 postos de trabalho na Idal

Com esta aquisição a produção de concentrado de tomate em Portugal será gerida apenas por empresas nacionais. Ortigão Costa, fundador da Sugal em Azambuja, acredita no sucesso da sua nova aposta.

Edição de 04.04.2007 | Economia
Só falta mesmo o sim da Autoridade da Concorrência para que a fábrica de tomate de Benavente passe para as mãos da Tomgal, uma sociedade anónima criada por empresários portugueses. A Idal será adquirida por um empreendimento conjunto que integra a Sogepoc-que detém a fábrica de tomate Sugal em Azambuja- e o actual director-geral da Heinz em Portugal, Pedro Sousa Macedo.Os representantes da Joint-Venture chegaram a acordo com a administração da Heinz que detinha a unidade de Benavente desde 1965. O negócio foi confirmado a O MIRANTE por Luís Ortigão Costa, administrador da Sociedade Agrícola da Fonte do Pinheiro que detém a Sogepoc e fundador da Sugal em Azambuja há 50 anos. O conhecido veterinário, ganadero e criador de cavalos, residente em Azambuja, participou nas negociações e considera que “será uma boa oportunidade”. Escusando-se a revelar pormenores do negócio, o administrador da recém criada Tomgal referiu que terá sido “um bom negócio para ambas as partes”.Quanto à manutenção dos 230 trabalhadores da fábrica de Benavente, o empresário referiu que a continuidade dos postos de trabalho está assegurada. “Vamos ter de ver pormenores”, acrescentou. Uma garantia também assegurada pela Heinz num comunicado onde refere que os novos proprietários da empresa asseguram todos os postos de trabalho da Idal. O MIRANTE apurou ainda que o acordo para a venda da unidade foi comunicado aos trabalhadores uma semana antes de ser tornado público num aviso em vários jornais nacionais no dia 28 de Março. Apesar das garantias dadas há alguns focos de apreensão em alguns funcionários da Idal. O acordo estabelecido prevê o controlo exclusivo da Sociedade Indústrias de Alimentação (Idal) e a transição de autorização para a nova sociedade continuar a produzir todos os produtos que a Heinz produzia. A operação confirma a saída da multinacional norte-americana do mercado nacional. A fábrica de Benavente processa 210 mil toneladas de tomate por ano e a Guloso é um dos maiores produtores mundiais de Ketchup e concentrado de tomate. Em Benavente produzem-se também maioneses e outros molhos. A Idal é ainda o distribuidor exclusivo de sementes de tomate da marca Heinz Seeds para os países da Bacia Mediterrânica.Fonte da Heinz referiu que a venda da fábrica de Benavente insere-se num plano de encerramento e venda de 15 unidades espalhadas por vários pontos do mundo, quatro delas na Europa. “Embora o negócio seja muito eficiente e funcione bem, a transformação industrial do tomate não é essencial ao crescimento estratégico da Heinz” refere um comunicado da empresa. Com a aquisição da Idal, a produção de concentrados de tomate vai ficar em exclusivo em mãos portuguesas. Na fábrica Sugal em Azambuja foram feitos avultados investimentos na renovação do equipamento que lhe permitiu reduzir o tempo de espera entre a colheita e a transformação do tomate e aumentar a produtividade. A fábrica de Azambuja tem capacidade para 3500 toneladas.
Fábrica de tomate de Benavente nas mãos de empresários portugueses

Mais Notícias

    A carregar...