uma parceria com o Jornal Expresso

Edição Diária >

Edição Semanal >

Assine O Mirante e receba o jornal em casa
31 anos do jornal o Mirante

Aeroporto no Campo de Tiro de Alcochete equacionado pela CCDR

Fonseca Ferreira diz que técnicos estão a preparar trabalho

O adiamento da decisão sobre a localização do aeroporto está a atrasar a elaboração do Plano Regional de Ordenamento do Território e de vários planos directores municipais da região.

Edição de 05.12.2007 | Sociedade
Os responsáveis pela elaboração do Plano Regional de Ordenamento do Território (PROT) das regiões do Oeste e Vale do Tejo, que previam no documento a construção do aeroporto na Ota, estão agora a equacionar a alternativa do Campo de Tiro Alcochete, nos concelhos de Benavente e Montijo. As dúvidas quanto à localização estão a atrasar a elaboração do PROT e de vários planos directores municipais da região."Se a decisão for o Campo de Tiro de Alcochete já nos estamos a preparar", afirmou na quinta-feira o presidente da Comissão de Coordenação e Desenvolvimento Regional de Lisboa e Vale do Tejo (CCDR-LVT), Fonseca Ferreira, que elabora o PROT."Se não tivesse havido o adiamento da decisão sobre a localização do aeroporto [de Lisboa], o plano [que contemplava a opção Ota] teria sido completado até ao final de Dezembro", disse Fonseca Ferreira, que falava aos jornalistas no final de uma reunião de coordenação do PROT que decorreu na quinta-feira, 29 de Novembro, em Peniche.Na reunião participaram diversos autarcas das regiões do Vale do Tejo e Oeste.O governo, que tinha decidido construir o futuro aeroporto de Lisboa na Ota, 50 quilómetros a Norte da capital, decidiu pedir estudos comparativos entre esta localização e o Campo de Tiro de Alcochete, ao Laboratório Nacional de Engenharia Civil (LNEC). O presidente da CCDR, Fonseca Ferreira referiu que a opção Alcochete implicará alterações no plano, mas salientou que "não é todo o trabalho que vai fora".O PROT vai definir o uso, ocupação e transformação do território do Oeste e Vale do Tejo, uma zona que abrange mais de 800 mil habitantes distribuídos por 8.792 quilómetros quadrados e 33 municípios dos distritos de Leiria, Santarém e Lisboa.Por seu lado, o director-geral do Ordenamento do Território e Desenvolvimento Urbano, Vítor Campos, frisou que "o aeroporto é uma peça chave do ordenamento e será finalizado após a decisão do governo e incorporando a localização que o governo vai decidir". Adiantou que os quatro planos regionais de ordenamento do território do país (Norte, Centro, Oeste e Vale do Tejo e Alentejo) "encaminham-se para a finalização até final do ano".A próxima reunião do PROT de Oeste e Vale do Tejo vai realizar-se em Janeiro, após a decisão do governo sobre a localização do aeroporto. No encontro de 29 de Novembro, a designada Comissão Mista de Coordenação, presidida pela Direcção-Geral de Ordenamento do Território e Desenvolvimento Urbano, reuniu 86 entidades, entre elas ministérios, municípios, o Conselho Regional de Lisboa e Vale do Tejo, as Regiões de Turismo e as Comunidades Urbanas do Oeste, Médio Tejo, Lezíria do Tejo e a Grande Área Metropolitana de Lisboa.

Mais Notícias

    A carregar...