uma parceria com o Jornal Expresso

Edição Diária >

Edição Semanal >

Assine O Mirante e receba o jornal em casa
31 anos do jornal o Mirante
Novos paços do concelho de Ourém custaram quase mais três milhões que o previsto

Novos paços do concelho de Ourém custaram quase mais três milhões que o previsto

Autarquia justifica derrapagem com erros e omissões no projecto
Edição de 18.06.2009 | Sociedade
O Presidente da República inaugurou terça-feira os novos paços do concelho de Ourém, investimento de 7,5 milhões de euros que vai concentrar quase todos os serviços municipais e cujo custo superou largamente o orçamento inicial, de 4,6 milhões de euros. Dados fornecidos pela Câmara Municipal, relativos a 27 de Maio, indicam que a obra principal e trabalhos a mais somavam àquela data um custo de 6.996.116,43 euros, valor a que se junta a contenção periférica, de 553.441,74 euros.Segundo a autarquia, o acréscimo de valor deve-se a “erros e omissões, nomeadamente trabalhos de contenção periférica”. “Não representa nenhuma derrapagem. Representa trabalhos efectuados que não estavam previstos no projecto”, adianta uma informação da câmara municipal.Sobre o valor estimado para o total do investimento, o município fez saber que, apesar de faltar “a revisão de preços, que tanto poderá oscilar para o lado do empreiteiro, como para o lado da autarquia”, não espera “grandes discrepâncias em relação aos valores actuais”.O presidente em exercício da Câmara Municipal de Ourém, Vítor Frazão (PSD), diz que esta “era uma obra há muito necessária e finalmente concretizada”. “Os serviços estavam dispersos pela cidade, acarretando despesas em material duplicado, deslocações, comunicações, rendas para o município e inconvenientes para os cidadãos, que se tinham que deslocar de edifício para edifício e de funcionário para funcionário”, justificou Vítor Frazão.O autarca assegurou que “no novo espaço haverá um atendimento e serviços centralizados, eliminando-se todos estes inconvenientes e todas as despesas que a dispersão gerava para todos nós”.Os paços do concelho, onde vão trabalhar cerca de 130 pessoas, passam a albergar todos os serviços municipais, “à excepção da biblioteca, arquivo histórico, estaleiros e apoio ao museu” e das empresas municipais, que “terão instalações próprias”, acrescentou o presidente do município.
Novos paços do concelho de Ourém custaram quase mais três milhões que o previsto

Mais Notícias

    A carregar...