uma parceria com o Jornal Expresso

Edição Diária >

Edição Semanal >

Assine O Mirante e receba o jornal em casa
31 anos do jornal o Mirante
Chefe da secretaria de escola de Alcanede detido por pedofilia

Chefe da secretaria de escola de Alcanede detido por pedofilia

Judiciária prendeu suspeito de abuso sexual de crianças durante uma festa de casamento

Ouvido segunda-feira em primeiro interrogatório judicial no Tribunal de Santarém, o indivíduo de 56 anos, solteiro, ficou preso preventivamente a aguardar julgamento.

Edição de 08.10.2009 | Sociedade
O chefe da secretaria da Escola Básica 2/3 de Alcanede estaria longe de pensar que ia acabar o passado sábado, 3 de Outubro, na prisão. O dia até tinha começado bem para F., 56 anos, que se encontrava numa festa de casamento em Alcanede quando foi detido por agentes da Polícia Judiciária (PJ). Sobre ele recaem suspeitas de prática dos crimes de abuso sexual de crianças, actos sexuais com adolescentes e recurso à prostituição de menores. Para não causar alarido na boda, os inspectores da PJ usaram um estratagema para a detenção que funcionou na perfeição e não levantou suspeitas ao visado. Pediram que anunciassem ao proprietário da sua viatura que a fosse mudar de local porque estaria mal estacionada. Quando F. chegou ao carro foi imediatamente detido. A Judiciária terá feito ainda buscas em casa do arguido e no seu local de trabalho. Ao que apurámos, foram apreendidos um computador e objectos pessoais.A detenção deixou a comunidade local em estado de choque, já que o suspeito era uma pessoa conceituada naquela freguesia do concelho de Santarém. Ouvido segunda-feira em primeiro interrogatório judicial no Tribunal de Santarém, ficou preso preventivamente a aguardar julgamento.Em comunicado, a PJ afirma que as alegadas vítimas, do sexo masculino, tinham à data do início dos factos idades compreendidas entre os 12 e os 14 anos e eram todas conhecidas do detido. Os abusos terão ocorrido no interior da residência do homem, solteiro, que praticava com as crianças e adolescentes “diversos actos de cariz sexual” a “troco de dinheiro e outro tipo de presentes”, acrescenta a nota.A actuação da Judiciária, através da directoria de Lisboa e Vale do Tejo, surgiu na sequência de cinco denúncias apresentadas por pais de crianças que frequentam a Escola Básica de 2º e 3º ciclos de Alcanede, onde o homem exercia as funções de chefe de secretaria.As supostas tendências homossexuais do detido eram do conhecimento da comunidade, conforme O MIRANTE apurou junto de pessoas que privavam com ele. “Mas daí a chegar-se a esse ponto até custa a acreditar. Era uma pessoa respeitada e prestável. Se for verdade que molestou miúdos fico muito desiludido porque não esperava isso dele”, confidenciou ao nosso jornal um morador da freguesia que pediu para não ser identificado.O detido está indiciado dos crimes de abuso sexual de crianças e de actos sexuais com adolescentes. Em relação ao abuso sexual de crianças o Artigo 171º do Código Penal diz que quem praticar acto sexual de relevo com ou em menor de 14 anos, ou o levar a praticá-lo com outra pessoa, é punido com prisão de um a oito anos. Se existir cópula a pena sobe para um mínimo de três anos e um máximo de dez anos de prisão. Quanto ao segundo crime, estabelece o Artigo 173º do Código Penal que quem sendo maior de idade e praticar acto sexual de relevo com menor entre os 14 e os 16 anos, é punido com pena de prisão até dois anos ou com pena de multa até 240 dias. Se o acto sexual consistir em cópula ou coito oral, o agente é punido com prisão até três anos ou multa até 360 dias.As supostas tendências homossexuais do detido eram do conhecimento da comunidade, conforme O MIRANTE apurou junto de pessoas que privavam com ele
Chefe da secretaria de escola de Alcanede detido por pedofilia

Mais Notícias

    A carregar...