uma parceria com o Jornal Expresso

Edição Diária >

Edição Semanal >

Assine O Mirante e receba o jornal em casa
31 anos do jornal o Mirante
O sorriso das crianças e dos idosos é o melhor reconhecimento para as funcionárias da CEBI

O sorriso das crianças e dos idosos é o melhor reconhecimento para as funcionárias da CEBI

Olga Fonseca, Ana Machado e Aida Jesus foram homenageadas pelos 20 anos de serviço

Quando já se levam duas décadas de trabalho comunitário o sorriso dos idosos e das crianças é o maior reconhecimento. Quem o diz são as três funcionárias da Fundação CEBI que, no dia em que a instituição assinalou o 42º aniversário, foram distinguidas por 20 anos de dedicação.

Edição de 30.11.2010 | Sociedade
Três funcionárias da Fundação CEBI foram homenageadas na quinta-feira, 25 de Novembro, dia em que a instituição comemorou o 42º aniversário da instituição, por 20 anos de serviço. Ana Machado, Olga Fonseca e Aida Jesus guardam memórias que davam para “encher vários baús”.As três mulheres garantem que os anos de serviço nada importam e que o maior reconhecimento é ver o sorriso dos utentes. Entraram como estagiárias na Fundação CEBI, em Alverca do Ribatejo, concelho de Vila Franca de Xira, sem ganhar nada, mas com o tempo provaram o seu valor. Hoje estão “agarradas” à profissão e garantem que a querem exercer até à reforma. Seja a cuidar de crianças ou idosos. “O meu primeiro dia foi muito difícil, nunca tinha trabalhado com idosos mas tive muita ajuda das colegas. Ainda hoje o faço, é muito gratificante e sinto-me realizada no fim de cada dia de trabalho”, conta Ana Machado, de 54 anos, residente em Alverca.A sua colega, Aida Jesus, vive no Carregado e desloca-se todos os dias para Alverca, para o terceiro andar da fundação. “Trabalhar com idosos é muito complicado, temos de dar muito amor e carinho. Tudo isso vai desgastando a nossa saúde mas sinto uma enorme realização por ajudar os outros”, conta a O MIRANTE a mulher de 51 anos que tem a responsabilidade de ajudar a zelar por 17 idosos. Aida Jesus chegou ao CEBI como estagiária. “A minha irmã mais velha estava na parte da fisioterapia e eu trabalhava num consultório particular sem ganhar muito. A vida complicou-se e vim a Alverca à procura de um trabalho. Depois entrei, fiquei a estagiar um mês sem vencimento”, recorda. Para Aida Jesus o maior problema é conseguir separar-se emocionalmente dos idosos que acompanha. “Quando damos muito amor e carinho aos mais velhos acabamos por ficar ligados. Fico triste quando eles ficam debilitados porque gosto deles”, garante a funcionária, que não quer mudar de emprego. “Isto agora é para a vida”, garante. A terceira homenageada da noite e a única que trabalha com crianças é Olga Fonseca, 46 anos, residente em Alverca e também presidente da Comissão de Protecção de Crianças e Jovens do concelho de Vila Franca de Xira. “Trabalhar com as crianças é emocionalmente desgastante, exige muito mas sempre foi muito compensador. Para mim a mais forte memória que tenho foi a inauguração do centro de emergência desta casa. Tenho uma grata memória desse momento”, conta. Olga diz que ainda hoje várias crianças, agora adultas, a encontram na rua e a conhecem. “Tenho muitas que até vêm ter comigo para fazer voluntariado. Há ‘crianças’ com quem já fiz a orientação de estágios da faculdade. O tempo passa mas para mim o fim só existe no dicionário”, garante.CEBI serve três mil famílias do concelho de Vila Franca de XiraA Fundação CEBI comemorou na tarde de 25 de Novembro, quinta-feira, o 42º aniversário, com a presença da Ministra da Educação, Isabel Alçada e da presidente da Câmara Municipal de Vila Franca de Xira, Maria da Luz Rosinha. O presidente da fundação, António José do Carmo, disse no seu discurso que a instituição serve actualmente 1 730 crianças e presta apoio a quase três mil famílias do concelho. Numa cerimónia que contou com um momento musical pelos alunos do colégio, António José do Carmo enviou um recado à ministra. “Falta-nos completar este projecto com o ensino secundário. A pressão das famílias é enorme, sente-se que elas querem e precisam que os seus filhos façam todo o seu percurso escolar neste espaço. Há muito tempo que os pais nos pedem essa solução. Ainda assim ficamos satisfeitos quando vemos que os nossos alunos, quando transitam para as outras escolas, estão entre os que têm melhores notas”, afirmou.Isabel Alçada trouxe a Alverca um discurso previamente escrito e por esse motivo não respondeu a António José do Carmo. A presidente da Câmara Municipal de Vila Franca, Maria da Luz Rosinha, informou que está atenta e prometeu que o apelo não vai passar ao lado. “A fundação tem um percurso de sucessos. Continuamos e vamos continuar a procurar um local para satisfazer essa pretensão do ensino secundário”, disse.Isabel Alçada destacou o trabalho da CEBI no campo da educação e apoio a idosos. “São instituições como a vossa para onde se deve olhar quando se trata de criar uma sociedade inclusiva”.
O sorriso das crianças e dos idosos é o melhor reconhecimento para as funcionárias da CEBI

Mais Notícias

    A carregar...