uma parceria com o Jornal Expresso

Edição Diária >

Edição Semanal >

Assine O Mirante e receba o jornal em casa
31 anos do jornal o Mirante

Boémio Serafim das Neves

Edição de 09.03.2011 | E-mails do outro mundo
Ando desesperado de todo com esta crise. É o aumento do IVA, dos combustíveis, dos transportes...onde é que isto vai parar. Até coisas simples que antes eram à borla custam os olhos da cara. Vê lá o caso daquela monitora de Torres Novas que vai largar quase dois mil euros pelo prazer de ter dado umas chapadas num cachopo desobediente. Só para o menino são 850 euros. Oh lá lá! Já tem dinheiro para uma consola e um telemóvel topo de gama...pelo menos. Vê lá tu a injustiça deste mundo. Tanta chapadona que levei do meu pai, de professores das mais variadas disciplinas e de colegas mais velhos e nunca vi um tostão. Se fosse agora estava podre de rico. Por acaso não sabes quem queira pagar para me dar umas chapadas daquelas que doem mais a quem as dá do que a quem as leva? Eu faço mais barato que o tal menino. Digamos...500 euros por unidade. Cinco ou seis lambadas e tenho o mês feito. E mesmo que me arreiem com força duvido que tenham a mesma força de quem me deu daquele remédio quando eu era puto. Quanto à monitora vamos lá ver se o suplício fica por aqui. Daqui a uns anos ainda lhe podem pedir mais uma indemnização pelos traumas que o agredido vai viver toda a vida mais o pagamento das consultas de psiquiatria. Vais ver...Este ano o Dia Internacional da Mulher coincidiu com o dia de Carnaval. Uma feliz coincidência. Pelo menos para aquelas senhoras de Samora Correia que comemoram o seu dia brincando com bonecos insufláveis e assistindo a sessões de stript-tease masculino. Pela minha parte fiz todos os possíveis para dar o meu abraço solidário a todas as mulheres que encontrei nos carros alegóricos dos corsos carnavalescos. Pena foi que algumas tenham interpretado mal as minhas intenções que, como deves calcular, eram as melhores. Não...não levei nenhuma chapada. Pelo menos delas não levei mas dos namorados de algumas levei. E não foram chapadas. Um deles deu-me um pontapé nos tim-tins que até uivei. No meio da confusão só um miúdo é que notou. "Olha mamã. Aquele está a imitar um lobo" disse o petiz. Comecei a lamuriar-me no primeiro parágrafo e agora não consigo parar. De crianças e dos seus direitos estamos conversados. E dos direitos das mulheres também. Dos velhotes já se sabe que podem morrer de fome ou da falta de medicamentos mas morrem felizes porque há sempre o almoço do dia do idoso e a excursão da câmara à Nazaré. Na violência doméstica falta a outra face do problema. Conheci um tipo a quem a mulher dava valentes cargas de pancada. Ele nunca fez queixa à polícia para não ser gozado. E aos amigos só se queixava por ela lhe bater sempre com a moldura do casamento. E não era por a moldura ser de ferro forjado. Dizia ele que a fotografia estava a ficar toda amassada. Um estóico!!!Serafim, o que me dizes daquela manifestação que vão fazer a pedir a demissão de todos os políticos? Esta gente anda doida. Com o país neste estado e querem tirar-nos pessoas que nos fazem rir e em quem podemos zurzir à grande aqui nos e-mails do outro mundo. Olha, eu esta semana nem falei de políticos que é para me tentar habituar. Mas isto sem eles não tem a mesma piada...pois não?!!!Aquele abraço com palmadas nas costas e tudoManuel Serra d'Aire

Mais Notícias

    A carregar...