uma parceria com o Jornal Expresso

Edição Diária >

Edição Semanal >

Assine O Mirante e receba o jornal em casa
31 anos do jornal o Mirante
O jovem pianista de Samora Correia que toca com uma sensibilidade especial

O jovem pianista de Samora Correia que toca com uma sensibilidade especial

Dinis Alemão descobriu o piano aos 10 anos e nunca mais parou

Dinis Alemão, de 14 anos, é um jovem pianista de Samora Correia, concelho de Benavente, que sente a música de uma maneira especial. O seu professor de piano diz que ele tem uma capacidade de sentir a música acima do normal.

Edição de 18.01.2012 | Sociedade
O piano surgiu quase por acaso na vida de Dinis Alemão, de 14 anos. Faltava pouco tempo para concluir o quarto ano do ensino básico e entrar no segundo ciclo de escolaridade onde passaria a ter aulas de música. Dinis pediu à mãe para entrar numa escola de música em Samora Correia para se preparar. Escolheu o piano por ser o instrumento que na altura lhe parecia mais “interessante” e “complexo”. Nem sequer ouvia música clássica. Em casa começou a treinar num teclado do primo, depois passou a um órgão e agora é num piano digital que ensaia todas as peças que vai tocando. Uns meses depois de ingressar na escola de música em Samora, a professora recomendou uma nova escola porque o jovem tinha evoluído a uma grande velocidade e já tinha aprendido o básico. Foi então que aos 10 anos entrou no Conservatório Regional Silva Marques na Sociedade Euterpe Alhandrense, em Alhandra, concelho de Vila Franca de Xira, onde se mantém a estudar piano no ensino articulado com a escola. Também aqui começou rapidamente a evoluir e a distinguir-se dos colegas. O professor de piano, Paulo Aguiar, reconhece todo o valor do jovem pianista: “É um rapaz com muito talento e gosta da música. Toca com um prazer e tem uma capacidade de sentir a música acima do normal”. Quase todos os dias, toca em casa, embora de vez em quando se furte à tarefa. A mãe Dulce Possante confessa que também começou a ouvir mais música clássica e aprendeu a gostar. “Tem muito talento e tenho pena que não treine mais”, conta. O professor assegura que Dinis é um aluno excepcional no sentido do potencial e agora só precisa de o concretizar, mas teria de fazer uma opção na sua vida se realmente quisesse ser pianista. Mas o jovem tem múltiplos interesses, que vão desde o Kenpo (arte marcial) que pratica desde os 10 anos, ao futebol ou à física. Também é aluno do quadro de honra na escola dos segundos e terceiros ciclos de Samora Correia. “Olho para a música mais como um hobby. Neste momento o que quero seguir é Física”, garante o pianista que gosta de Chopin, Grieg e Scott Joplin.Dinis Alemão já passou por alguns palcos, do qual se destaca o do Centro Cultural de Belém, em Lisboa, onde tocou no programa 1001 músicos. Também já tocou no Centro Cultural de Samora Correia, na escola e nas festas de algumas colectividades da freguesia, onde vai sendo uma presença habitual.
O jovem pianista de Samora Correia que toca com uma sensibilidade especial

Mais Notícias

    A carregar...