uma parceria com o Jornal Expresso

Edição Diária >

Edição Semanal >

Assine O Mirante e receba o jornal em casa
31 anos do jornal o Mirante

Incêndios na região provocaram mais de 12 milhões de prejuízos em 2012

Revelação feita no fórum organizado pela Associação de Jovens do Ribatejo
Edição de 10.04.2013 | Sociedade
Os incêndios no ano passado no distrito causaram um prejuízo de 12,5 milhões de euros, segundo as contas da GNR apresentadas pelo capitão Duarte da Graça. O oficial que falava no fórum de defesa da floresta contra incêndios, organizado pela Associação de Jovens do Ribatejo, liderada pelo ex-chefe de gabinete do antigo Governo Civil de Santarém, Carlos Catalão, juntou ainda a este número os custos da GNR com acções de fiscalização e apoio ao combate que se situaram nos 391 mil euros. Um valor que inclui os ordenados dos militares envolvidos e os custos com deslocações. Duarte da Graça revelou ainda que durante o ano passado a Guarda fez 724 acções de fiscalização na floresta, tendo levantado 165 autos de contra-ordenações, relacionados com a falta de limpeza, queimadas ilegais e outras situações. Mas apenas em 10 casos foram aplicadas multas e apenas por uma câmara municipal, que o capitão se recusou a revelar. Sobre esta situação o vereador da Câmara de Mação, António Louro, considerou que o problema é a lei não funcionar. O autarca diz que não faz sentido a GNR ter poderes para aplicar a multa a um motociclista que circula sem capacete e nos casos das infracções da floresta ter que enviar os autos para as câmaras decidirem. António Louro prevê que nos próximos quatro anos venha a ocorrer um período de grandes incêndios com consequências desastrosas. “Não sabemos é em que ano vai ser”, ressalvou. O autarca realçou ainda que é importante apostar na utilização de máquinas de grande dimensão para debelar incêndios e que este meio tem sido descurado. Louro conclui dizendo que o problema dos fogos não se resolve com o combate e só se pode resolver quando “tivermos o domínio sobre a paisagem, o ordenamento e a gestão dos componentes”.

Mais Notícias

    A carregar...