uma parceria com o Jornal Expresso

Edição Diária >

Edição Semanal >

Assine O Mirante e receba o jornal em casa
31 anos do jornal o Mirante

António Costa obriga a integrar Idália Serrão na lista do PS por Santarém

Dos nomes aprovados pela distrital socialista para candidatos à Assembleia da República não constava o nome da deputada e vereadora escalabitana. Líder nacional do partido puxou dos galões e forçou o presidente da distrital, António Gameiro, a sacrificar Sónia Sanfona da lista para meter a sua apoiante.

Edição de 22.07.2015 | Sociedade
O secretário-geral do Partido Socialista, António Costa, foi obrigado a intervir no processo de escolha de candidatos do partido pelo círculo de Santarém, forçando o líder distrital, António Gameiro, a integrar a actual deputada e vereadora da Câmara de Santarém, Idália Serrão, na lista, num elegível terceiro lugar. Com essa reviravolta, a sacrificada foi Sónia Sanfona, ex-vereadora em Alpiarça e ex-governadora civil.Este golpe de teatro reflecte bem a divisão existente nas hostes socialistas, que já vem desde as eleições internas do partido, no ano passado, em que António Costa derrotou António José Seguro. Na mesma altura, a distrital de Santarém do PS também foi a votos e ganhou a ala apoiante de Seguro, com António Gameiro a derrotar a autarca de Abrantes Maria do Céu Albuquerque. E a lista de candidatos à Assembleia da República agora apresentada reflecte esse resultado e a cisão existente, com a lista a ser uma espécie de réplica do secretariado distrital liderado por Gameiro.A exclusão de Idália Serrão era uma das surpresas da lista, o que deixava Santarém, uma das concelhias com maior peso no distrito, sem representação directa, já que Tiago Preguiça, em sétimo lugar, concorre pela quota da Juventude Socialista, de que é líder distrital. A situação levara mesmo à demissão da comissão política distrital do presidente da concelhia de Santarém, Rui Barreiro, que alegou não terem sido cumpridos os critérios definidos pelo partido para elaboração das listas, como os da qualidade, competência técnica e política e ligação à região. A primeira versão da lista foi aprovada na noite de 16 de Julho, em Almeirim, e os resultados da votação falam por si: 44 militantes votaram a favor enquanto 37 foram contra os nomes propostos. Outro dado digno de nota é que Abrantes - município socialista há largos anos - não tem qualquer nome na lista. Uma situação a que não deverá ser alheio o facto de a presidente desse município, Maria do Céu Albuquerque, ter sido adversária do líder distrital António Gameiro nas eleições internas do ano passado.O MIRANTE sabe que durante a sessão para elaboração da lista houve nomes que não caíram bem entre os presentes. Sónia Sanfona foi um deles, mas vários militantes também não gostaram da inclusão na lista de Hugo Costa (eleito na Assembleia Municipal de Tomar e ex-líder da JS), por imposição do presidente da distrital, António Gameiro, e de João Sequeira, de Rio Maior, por pressão do líder nacional António Costa. Foi também António Costa quem impôs o nome do cabeça de lista, o ex-ministro José António Vieira da Silva, 62 anos, que não é uma figura de referência na região embora tenha ligações a Alcanena, onde chegou a ser autarca na assembleia municipal. Natural da Marinha Grande é actualmente deputado eleito por Setúbal.Em segundo lugar na lista está o actual deputado e presidente da distrital do PS, António Gameiro, recentemente envolvido num caso judicial que prejudica a sua imagem e a do partido. E isso não foi esquecido nas redes sociais. Gameiro foi condenado por ter ficado com 45 mil euros da venda de um apartamento de uma emigrante na Austrália, da qual era advogado. Uma juíza da Instância Central Cível do Tribunal da Comarca de Santarém condenou-o a entregar o valor mais juros até integral pagamento, tendo o político recorrido para o Tribunal da Relação, que ainda não se pronunciou. A lista finalA lista está ordenada da seguinte forma: Vieira da Silva (indicado pela direcção nacional do PS), António Gameiro (Ourém), Idália Serrão (Santarém), Hugo Costa (Tomar), João Sequeira (Rio Maior), Maria da Luz Lopes (Mulheres Socialistas - Torres Novas), Tiago Preguiça (JS Ribatejo - Santarém), Mário Balsa (Entroncamento) e Elvira Tristão (Cartaxo). Os suplentes são: Pedro Pereira (Benavente); José Fernando Martins (Mação); La Salette Marques (Santarém); Joel Marques (Chamusca); Nuno Ferreira (Tomar).Círculo de Santarém perde um deputadoO círculo eleitoral de Santarém, com a actualização da população tendo em conta o último Censos, vai ter menos um lugar na Assembleia da República, passando a ser nove os deputados a eleger por este círculo. O deputado que o distrito perde vai para Setúbal. Actualmente estão 10 deputados eleitos por Santarém no Parlamento, dos quais cinco são do PSD, três do PS, um do CDS-PP e outro do PCP.Sónia Sanfona reage à exclusão“Esta é uma situação difícil de aceitar. Pensei que uma votação democrática valesse de alguma coisa. As decisões dos militantes de Santarém deviam merecer o respeito da direcção nacional do partido e o nome de Idália nem sequer passou no secretariado da federação antes de a lista ser submetida à votação da comissão política. Há três imposições do secretário-geral (António Costa) que não são escolhas do distrito, quando a quota que ele tem é de um lugar. Isto diz muito da forma como as listas estão a ser preparadas pelo país”.

Mais Notícias

    A carregar...