uma parceria com o Jornal Expresso

Edição Diária >

Edição Semanal >

Assine O Mirante e receba o jornal em casa
31 anos do jornal o Mirante

Falta de multibanco e Vala Real entre as preocupações do povo de Vale da Pedra

Presidente da câmara, Pedro Ribeito, afirmou que está a “arrumar a casa” na primeira ronda que o PS/Cartaxo está a fazer pelas freguesias do concelho para ouvir a população.

Edição de 23.03.2016 | Sociedade
A falta de uma caixa multibanco em Vale da Pedra foi uma das preocupações levantadas por cidadãos presentes na sessão que o PS/Cartaxo promoveu no dia 17 de Março naquela aldeia. O presidente da Junta de Freguesia do Vale da Pedra, José Alberto Belo (PS), e o presidente do município do Cartaxo, Pedro Ribeiro (PS), afirmaram estar a estudar soluções, apesar de já terem referido que tudo está nas mãos dos bancos. Em Março de 2015, o presidente da junta comprometeu-se a colocar um multibanco em Vale da Pedra até ao final do mandato, tendo o próprio dito na altura que “nenhuma instituição bancária quer colocar aqui um multibanco por questões de segurança”. A possibilidade da construir um ‘bunker’ (protecção para evitar roubos e explosões), já tinha sido descartada à época como noticiado por O MIRANTE. A localidade já teve uma caixa multibanco, no edifício da junta de freguesia, mas o mesmo foi assaltado e, por razões de segurança, o banco que era proprietário do equipamento decidiu retirá-lo. A limpeza da Vala Real da Azambuja foi outro dos problemas apontados na sessão aberta à população. A falta de limpeza, segundo alguns populares, arrasta-se desde “o tempo da outra senhora”, com árvores derrubadas e outros lixos a acumularem-se no curso de água que desagua no Tejo. As respostas também não foram conclusivas. “Não podemos ir para lá limpar, pois existem leis quanto a este tipo de situações e poderemos cometer crimes ambientais”, disse o presidente da freguesia, José Alberto Belo.O presidente da Eco-Cartaxo, José Louza, em conversa com O MIRANTE, disse-nos que está em cima da mesa uma proposta para a criação de uma ecovia ao longo da vala até ao Tejo, desde a nascente em Rio Maior até à foz. Esta ecovia teria também uma ciclovia e serviria como forma de reabilitar as margens do rio. “Uma coisa é dizer que a Vala Real (ou rio Maior) está poluída, outra é ver o estado em que está”, acrescentou. Quanto à Estação de Tratamento de Águas Residuais (ETAR) prevista para o Vale da Pedra, outro dos assuntos debatidos na sessão, esta já tem um terreno que foi comprado pelo município para a sua construção. No entanto, a promoção à construção de Fito-ETAR, sistema de tratamento de esgotos domésticos com recurso a plantas hidrófitas (que vivem permanentemente imersas em água), foi uma das medidas do programa do PS em 2013 para o concelho, que segundo Pedro Ribeiro não vai ser possível concretizar.

Mais Notícias

    A carregar...