uma parceria com o Jornal Expresso

Edição Diária >

Edição Semanal >

Assine O Mirante e receba o jornal em casa
31 anos do jornal o Mirante
Concelho de Santarém perdeu quase cinco mil habitantes em oito anos

Concelho de Santarém perdeu quase cinco mil habitantes em oito anos

Edição de 27.04.2020 | Sociedade

Os dados estatísticos divulgados recentemente pela PORDATA comparam os anos de 2010 e 2018. Deles resulta o retrato de um concelho em recessão demográfica e a envelhecer, embora a ritmo mais lento que muitos concelhos da região.
O concelho de Santarém perdeu quase cinco mil habitantes entre 2010 e 2018, segundo dados estatísticos divulgados na semana passada pelo projecto da Fundação Francisco Manuel dos Santos. Segundo a PORDATA, em 2010 o concelho escalabitano tinha uma população residente de 62.453 pessoas, tendo diminuído para 57.611 habitantes em 2018.
Outro sinal preocupante em termos demográficos prende-se com o envelhecimento da população. A percentagem de jovens com menos de 15 anos desceu de 14,4% em 2010 para 13,2% em 2018, um pouco abaixo da média nacional, que era de 13,8%. Um reflexo também da quebra de nascimentos verificada nesse período, em que se passou de 575 partos em 2010 para 452 em 2018, embora os óbitos também tenham descido de 816 para 767.
A percentagem da população em idade activa (dos 15 aos 64 anos) baixou de 63,5 para 61,9% entre 2010 e 2018. Em contraponto, a percentagem de população com 65 anos ou mais subiu de 22,2% para 24,9% em igual período, estando acima da média nacional que se cifrava nos 21,7% em 2018. A população estrangeira passou de 2.556 pessoas em 2010 para 1.883 em 2018.

Número de alunos a cair
Os dados estatísticos disponibilizados pela PORDATA revelam também que o número de estabelecimentos do ensino pré-escolar caiu de 53 para 39 e o de estabelecimentos do 1.º ciclo do ensino básico de 53 para 36. Consequências da diminuição de população jovem e também da reestruturação do parque escolar com a criação de centros escolares que levaram ao encerramento de escolas primárias e jardins-de-infância.
A quebra no número de alunos do ensino não superior foi superior a dois mil, passando de 12.679 para 10.541. O número de estudantes do ensino superior em Santarém também baixou entre 2010 e 2018, de 3.382 para 2.936 alunos.

Crise elimina empresas, bancos e multibancos
Possíveis reflexos da crise económica que se viveu na época passada, o número de empresas não financeiras passou de 7.017 para 6.554 e o pessoal ao seu serviço era de 19.670 funcionários em 2010, caindo para 17.520 em 2018. O ganho médio mensal dos trabalhadores por conta de outrem, esse, subiu de 954 para 1.042, sendo a média nacional em 2018 de 1.167 euros.
O número de agências de bancos e caixas económicas diminuiu de 35 para 25 nesses oito anos. Também o número de caixas automáticas multibanco baixou de 105 para 82.
Um indicador de que em 2018 já se verificava um desagravar da crise que atingiu o país e muitas famílias foi a queda do número de beneficiários do Rendimento Social de Inserção de 2.183 para 1.390 casos. Redução semelhante verificou-se também no número de desempregados inscritos nos centros de emprego que passou dos 2.221 para os 1.381.

PORDATA traça o retrato dos 308 municípios

No âmbito do 10º aniversário da PORDATA, ao longo de 2020, serão divulgados retratos estatísticos sobre cada um dos 308 municípios portugueses, fazendo-o para assinalar os respectivos feriados municipais. O feriado municipal de Santarém celebra-se a 19 de Março.

Concelho de Santarém perdeu quase cinco mil habitantes em oito anos

Mais Notícias

    A carregar...

    Capas

    Assine O MIRANTE e receba o Jornal em casa
    Clique para fazer o pedido