uma parceria com o Jornal Expresso

Edição Diária >

Edição Semanal >

Assine O Mirante e receba o jornal em casa
31 anos do jornal o Mirante
Bairro da Solidariedade quer mais limpeza e menos barulho 
Moradores descontentes com a sujidade pedem ajuda à Câmara de Benavente

Bairro da Solidariedade quer mais limpeza e menos barulho 

Câmara de Benavente diz estar atenta e a ponderar “medidas drásticas” para solucionar problemas que afectam o bairro social.

Edição de 30.09.2020 | Sociedade

Moradores do Bairro da Solidariedade, em Benavente, exigem soluções para os problemas de ruído e lixo causados por alguns dos mais recentes residentes que não têm respeito pelo espaço público e pelo descanso dos demais. A vereadora da Câmara de Benavente Catarina do Vale admite que o problema persiste apesar das visitas de técnicas do serviço de acção social e diz que vão ter de ser “tomadas medidas mais drásticas”.
Alguns dos residentes queixosos marcaram presença na última reunião pública do executivo, na qual manifestaram o desagrado com a sujidade que se acumula em quintais e na via pública, o cheiro a esgotos e o barulho nocturno causado por cães que “ladram toda a noite”.
Luísa Mendes, moradora no bairro, conhece bem o problema de insalubridade. Diz que há dejectos de cães por todo o lado, lixo e um cheiro a urina que chega a ser insuportável. Até restos de peixe amanhado são deitados para a via pública. “Depois tenho de andar a lavar a porcaria dos outros”, criticou.
Além do mau cheiro provocado pela falta de higiene de alguns moradores, a rua do bairro onde reside é afectada por um constante cheiro a fossa. “É um cheirete dentro das casas que não se pode lá estar”, vincou, pedindo uma solução.
Outro morador, Octávio Correia, lamenta a acumulação de lixo e dejectos de animais “que não deixam dormir ninguém” e exige à autarquia “alguma acção para ver o que se está a passar naquele bairro”, que é municipal.
Depois de ouvir os relatos, Catarina do Vale referiu que tem vindo a receber mais queixas de munícipes sobre problemas de “insalubridade e questões de acumulação de objectos nos quintais” que são encaminhadas para o serviço de acção social, que tem visitado o bairro com frequência. Nessas acções, as técnicas do município abordam os moradores em incumprimento que se “comprometem a retirar os lixos”, contudo, o problema persiste.

Bairro da Solidariedade quer mais limpeza e menos barulho 

Mais Notícias

    A carregar...

    Capas

    Assine O MIRANTE e receba o Jornal em casa
    Clique para fazer o pedido