uma parceria com o Jornal Expresso

Edição Diária >

Edição Semanal >

Assine O Mirante e receba o jornal em casa
31 anos do jornal o Mirante
Casal de idosos vive em condições desumanas
Joaquim Augusto, na foto, vive paredes-meias com o casal e tem uma chave da habitação

Casal de idosos vive em condições desumanas

Homem está acamado há vários anos e a mulher sofre de demência. Ambos têm mais de 80 anos e estão abandonados numa casa sem condições, valendo-se da ajuda de alguns vizinhos e do centro social que lhes fornece as refeições. Autarcas da Chamusca conhecem situação.

Edição de 30.09.2020 | Sociedade


A população da Parreira, sobretudo as cerca de duas dezenas de pessoas que vivem na Rua Manuel Varela, está preocupada com as condições em que um casal de idosos vive na aldeia que pertence ao concelho da Chamusca. Segundo relatos de alguns moradores, ouvidos por O MIRANTE no local, a situação arrasta-se há mais de quatro anos e envolve Ricardina e António Mendes. O homem está acamado e apresenta-se num estado cadavérico. A mulher sofre de demência e já tentou fugir de casa por diversas vezes. Ambos têm mais de 80 anos e são os vizinhos que ajudam o casal, na medida do possível, quando ouvem gritos de socorro. O MIRANTE teve conhecimento deste caso através de várias denúncias de pessoas que moram na aldeia, mas que não querem ser identificadas.
Joaquim Augusto vive paredes-meias com o casal. É ele que tem a chave da habitação, que está quase sempre trancada, uma vez que a senhora insiste em fugir sempre que a porta está no trinco. “Aqui há tempos fui dar com ela caída no chão, coberta de sangue”, conta. A casa, diz, para além de ser minúscula, não tem as mínimas condições de habitabilidade, as paredes e o chão estão negros de tanta sujidade.
Há cerca de um ano uma equipa do Centro de Apoio Social da Parreira (CASP) começou a levar-lhes refeições três vezes ao dia e a fazer-lhes a higiene básica. Ao fim-de-semana as refeições não são garantidas, ficando o casal entregue à boa vontade dos vizinhos e da proprietária da farmácia situada do outro lado da rua. Uma das vizinhas que lhes vai levar comida à cama, diz a O MIRANTE que o apoio do CASP tem sido muito importante mas que o ideal seria levá-los para um lar de idosos de forma a gozarem de um acompanhamento permanente. “Estas duas almas vão morrer abandonadas dentro daquelas quatro paredes”, lamenta.
O MIRANTE sabe que, recentemente, houve uma oportunidade dos idosos serem colocados a tempo inteiro no CASP ou no Centro de Acolhimento do Chouto. O executivo da Câmara da Chamusca conhece a situação e, na reunião de câmara de 22 de Setembro, a vice-presidente da autarquia, Cláudia Moreira, desvalorizou o assunto dizendo que os filhos do casal garantem que os pais estão a ser acompanhados e vivem em boas condições.
Os moradores com quem O MIRANTE conversou sublinham que já informaram por diversas vezes o executivo da câmara e da junta sobre as condições miseráveis em que estas pessoas vivem, mas, dizem, “é como falar aos pássaros da rua”.

Casal de idosos vive em condições desumanas

Mais Notícias

    A carregar...

    Capas

    Assine O MIRANTE e receba o Jornal em casa
    Clique para fazer o pedido