uma parceria com o Jornal Expresso

Edição Diária >

Edição Semanal >

Assine O Mirante e receba o jornal em casa
31 anos do jornal o Mirante
Basquetebol nocturno  no meio de prédios não dá descanso aos moradores  
Tabela de basket entre vários prédios tem sido um problema

Basquetebol nocturno  no meio de prédios não dá descanso aos moradores  

Utilização de tabela de basquetebol fora de horas numa zona residencial de Alverca é uma dor de cabeça para quem ali vive. Junta de freguesia afixou horário de funcionamento no espaço desportivo para permitir às autoridades multar os infractores.

Edição de 02.11.2020 | Sociedade



Não há descanso para quem vive nos prédios da Praceta das Oliveiras, em Alverca, desde que a pandemia de coronavírus começou. Tudo porque muitos jovens, alguns de outras zonas da cidade, descobriram que há ali uma tabela de basquetebol que não é vedada e por isso o local tem sido procurado por dezenas de praticantes e o som das bolas a bater no asfalto não pára até altas horas da noite.
“É desde as primeiras horas da manhã até altas horas da noite, dezenas de jovens, não dá para ter descanso. É preciso que se faça alguma coisa. Não estamos contra o campo mas sim a falta de controlo de quem o usa fora de horas”, lamenta José Coimbras, um dos moradores. Há quem chame a polícia diariamente, que vai ao local dispersar as pessoa. Mas, horas depois, o problema recomeça.
O jardim já tinha uma velha tabela de basquetebol há quase uma década mas estava muito mal cuidada. No último mandato do socialista Afonso Costa o espaço foi requalificado, mas não foi colocada nenhuma vedação para o fechar durante a noite. “Não se percebe como autorizaram fazer aqui um campo de basquetebol no meio dos prédios com o eco que as bolas fazem. E depois não se percebe como é que a junta permitiu que fizessem este campo sem uma vedação, ou seja, está sempre aberto e isso é um problema”, lamenta Fernando Monteiro, outro morador.
Fernando, como outros vizinhos, já gastou mais de dois mil euros a mudar todas as suas janelas para tentar abafar o ruído. “Eu e a minha mulher já estávamos a dar em doidos e ninguém faz nada”, critica. “O local era calmo mas desde o confinamento alguém descobriu isto e são cada vez mais os miúdos que se juntam aqui dia e noite”, lamenta Raquel Nunes, outra moradora, a O MIRANTE.
O vizinho, José Coimbras, denunciou a situação ao município que lhe respondeu que os espaços de jogo estão encerrados desde 16 de Março, admitindo que o equipamento, por não ser vedado, dificulta o seu isolamento.

Horário já permite começar a multar
Perante as queixas, a junta de freguesia afixou no local um horário de funcionamento, permitindo dessa forma que a PSP multe quem for apanhado a usar a tabela de basquetebol fora de horas. Mas terão de ser os moradores a chamar a polícia. “Se há gente que usa o espaço fora de horas isso vai contra a lei do ruído e tem de ser autuado e identificado”, defende o presidente da junta, Carlos Gonçalves. Para já não há intenção da junta em vedar o espaço.

Basquetebol nocturno  no meio de prédios não dá descanso aos moradores  

Mais Notícias

    A carregar...

    Capas

    Assine O MIRANTE e receba o Jornal em casa
    Clique para fazer o pedido