uma parceria com o Jornal Expresso

Edição Diária >

Edição Semanal >

Assine O Mirante e receba o jornal em casa
31 anos do jornal o Mirante
Assaltos roubaram o sossego à população de Coutada Velha  
Inês Correia, presidente da Junta de Benavente, tem conhecimento das ocorrências

Assaltos roubaram o sossego à população de Coutada Velha  

Habitantes da aldeia do concelho de Benavente queixam-se da falta de policiamento e o sentimento de insegurança tem aumentado. Há assaltos durante o dia e animais mortos a tiro. As suspeitas recaem sobre novos moradores.

Edição de 02.11.2020 | Sociedade

Antigamente os moradores de Coutada Velha, Benavente, dormiam com a porta no trinco, sem medo que alguém lhes entrasse em casa durante a noite. Agora, até à luz do dia têm receio. Há grupos a fazer rondas de carro pelas ruas, roubos por esticão à porta de casa e animais roubados ou mortos a tiro. A população está apreensiva e queixa-se da falta de policiamento.
Para os moradores, as suspeitas recaem sobre uma família que se mudou para a aldeia há cerca de três meses. “Desde que vieram para cá começaram a acontecer os assaltos. Há umas semanas tentaram entrar na casa de uma vizinha que anda em cadeira de rodas, com a desculpa de que precisavam de usar a sua casa de banho. Só não aconteceu o pior porque o marido estava lá”, conta um morador que pede para não ser identificado por medo de represálias. “Eles depois sabem quem somos e podem fazer-nos mal”, sustenta a esposa sem largar as grades do portão da casa.
Na mesma semana uma moradora, de 68 anos, foi assaltada por esticão à porta da sua residência. Os ladrões, dois homens e duas mulheres, levaram-lhe um valioso cordão em ouro que tinha ao pescoço. Antes, aproximaram-se da vítima, que estava a pintar o portão de casa, com a desculpa de que estavam perdidos e precisavam de indicações.
O MIRANTE contactou a GNR sobre esta ocorrência em Coutada Velha e, segundo apurámos, os assaltantes estão identificados e sinalizados pela prática de outros crimes, como furtos em supermercados.
Além dos roubos e tentativas de assalto a habitações, os pequenos criadores de animais também têm sido vítimas. Pela calada da noite animais e material agrícola têm sido furtados. “Há dias cortaram a vedação, deram um tiro ao porco e levaram-no. Mas que tipo de gente é que faz uma coisa destas?”, questiona indignado um morador, para depois acrescentar que “bastava a GNR passar cá uma vez ao dia para nos sentirmos mais seguros”.
Contactada por O MIRANTE, a presidente da Junta de Benavente, Inês Correia afirma ter conhecimento das ocorrências: “Têm-me chegado os relatos da população da Coutada Velha que desde que uma família de etnia cigana se mudou para lá tem vivido situações muito complicadas, que põem em causa a sua segurança e liberdade de movimentos”.
A autarca, que afirma passar regularmente na localidade diz estar atenta, mas remete responsabilidades para a GNR, a quem compete investigar os crimes e zelar pela segurança da população. “Não se vê patrulhamento nas ruas e só isso já seria muito importante. O comando distrital de Santarém diz-nos que está atento, mas também nos diz que não tem mais efectivos para colocar no posto de Benavente”, afirma.

Câmara de Benavente fala na falta de reforço de meios
Perante o continuado ambiente de insegurança sentido em algumas freguesias do concelho de Benavente, o presidente do município, Carlos Coutinho expressou na última reunião do executivo o seu descontentamento face ao reforço de meios definido pela autarquia com o comando da GNR de Santarém, que continua sem chegar.
“Isto não pode continuar, tem de haver medidas da GNR. Não têm vindo esses meios, o que é perfeitamente inaceitável”. afirmou o autarca, acrescentando que vai tomar outras medidas, “se não houver resposta firme” da parte da GNR. Já foi solicitada uma reunião com o Ministério da Administração Interna.
Carlos Coutinho que respondia ao vereador Pedro Pereira sobre o esforço da autarquia para diminuir a criminalidade, aproveitou para lamentar mais um episódio de agressão, a uma funcionária do Mini Preço de Benavente, por uma “senhora de etnia cigana” que recentemente se mudou com a família para Coutada Velha. “Isto não pode continuar, tem de haver medidas da GNR”, afirmou o autarca na última reunião do executivo.

Assaltos roubaram o sossego à população de Coutada Velha  

Mais Notícias

    A carregar...

    Capas

    Assine O MIRANTE e receba o Jornal em casa
    Clique para fazer o pedido